Com mais dez jogos para realizar na Série B, o Paraná Clube se aproximou de vez da zona de rebaixamento e evitar a queda para a Terceira Divisão será seu objetivo na reta final da competição nacional. O técnico Roberto Fernandes lamentou a goleada para o Goiás por 4×0, na noite de quinta-feira (29), no Serra Dourada e admitiu que o time paranista, diferentemente das outras equipes que estão na área de risco do certame, não está com o espírito mais aguerrido para deixar as últimas colocações na classificação da Segundona.

“É com muita insatisfação e angústia que digo que, hoje (ontem), é certo que acesso não tem condição. O estágio que a equipe se encontra em todos os aspectos mostra que não estamos preparados para o acesso. Tinha esperança nesse jogo de fazer três pontos aqui. Hoje, não só pela pontuação, mas pelo futebol que estamos apresentando, a briga é pelo rebaixamento. E com o agravante de que quem está lá embaixo já está com esse espírito. A gente não está com esse espírito”, lamentou Fernandes.

Diante do Goiás, Roberto Fernandes fez algumas mudanças, priorizou um sistema de marcação mais forte no meio de campo, mas a estratégia pouco adiantou. O Tricolor, sem reação para conseguir jogar e com dificuldades de marcação diante do Goiás, foi apático segundo o treinador e não encarou ainda o espírito da Série B do Campeonato Brasileiro.

“Tem que ter união. Um jogador só não resolve, porque cada um pensa por si, tem que ter o esforço de todo, para que a gente possa mudar essa postura. Acho que, na reta final da competição, ser tão apático assim. Quem acompanhou pela TV eu dou um exemplo desse espírito da Série B. No último lance de gol, quando a gente teve a oportunidade de diminuir o placar, na jogada do Henrique e do Karanga (Fernando), o Goiás inteiro se jogou para dentro do gol e cortou a bola. Nós não estamos fazendo isso”, prosseguiu o treinador.

O lateral-direito Diego Tavares que, depois da saída do atacante Róbson tem atuado mais avançado, ressaltou que faltou garra ao time paranista e lamentou o primeiro abaixo da média do Tricolor. Isto porque o Goiás, nos primeiros 45 minutos, conseguiu fazer 4×0 e encaminhou a vitória.

“Fora de casa a gente tem que ser mais aguerrido, mais batalhador, tem que mudar. Não dá para entender fazer um primeiro tempo igual fizemos e no segundo tempo, criamos várias chances. Isso não pode acontecer, não pode dar bobeira. Nas bolas paradas ou bolas aéreas tem que se esforçar mais. Temos que ser mais aguerridos para mudar a nossa situação”, desabafou.