Rivais nos dois últimos anos de Série B do Campeonato Brasileiro, Paraná Clube e Londrina estarão mais uma vez frente a frente. Agora pela semifinal da Taça Caio Júnior, que acontece no domingo, às 16h, na Vila Capanema. Uma rivalidade que novamente será colocada à prova em um compromisso decisivo.

Nos últimos anos, a rivalidade entre Tricolor e Tubarão aumentou. O diretor de futebol do Alviceleste, Ocimar Bolicenho, que já foi presidente do time paranista nos anos 1990, acirrou a disputa fora das quatro linhas quando, em 2016, afirmou que o Londrina era maior que a equipe da capital. Na época, a discussão era de quem era a terceira força do futebol paranaense.

Em campo, porém, há um equilíbrio muito grande nos confrontos. Foram oito partidas de 2016 até agora, com duas vitórias para cada lado e quatro empates. Pela Taça Dionísio Filho, os dois se encontraram na Vila Capanema e empataram em 1×1.

No ano passado, o Tubarão foi um dos concorrentes do Paraná Clube na luta pelo acesso à primeira divisão, mas acabou morrendo na praia, terminando na quinta colocação. O time paranista ficou apenas dois pontos à frente e garantiu a quarta vaga à elite do futebol nacional.

Diante do Alviceleste, que vem em um processo de reconstrução sob o comando do técnico Marquinhos Santos, o Paraná Clube terá um teste de fogo para comprovar a boa fase que vive na temporada. Desde que Rogério Micale assumiu, o Tricolor deu uma reviravolta neste começo de ano e, em cinco jogos, conseguiu quatro vitórias e um empate.

Essa boa campanha na Taça Caio Júnior garantiu a melhor campanha do segundo turno do Estadual. No entanto, a partir de agora, tudo é zerado. A classificação à final, diante do Londrina, será definida em apenas 90 minutos, ou em penalidades máximas, em caso de empate. A favor do Tricolor apenas o fator casa. Jogar na Vila Capanema será o grande trunfo para conquistar o título do segundo turno.

“O torcedor é muito importante para nós. Quando a nossa equipe jogar aqui, ele tem todo direito de vaiar e cobrar, pois é a paixão dele. Mas se eles nos apoiarem, principalmente quando estiverem em campo, o nosso time será muito forte aqui dentro. Quero que o torcedor venha com a gente e entenda esse momento. Nós estamos tentando uma final e depois vamos entrar no Brasileiro, que é muito difícil. Com a torcida jogando junto, fará muita diferença”, afirmou Micale.

Velhos conhecidos

O embate da semifinal entre Paraná Clube e Londrina colocará dois amigos frente a frente. Rogério Micale conhece bem Marquinhos Santos, mas garantiu que ainda vai estudar o Tubarão.

“Eu ainda vou estudar o time do Londrina. Conheço muito o Marquinhos, foi meu colega de cursos e é meu amigo. O Londrina está em processo de recuperação. Acredito que será um jogo bacana e espero que o nosso torcedor compareça para nos ajudar. Creio que será um grande jogo”, concluiu o treinador.

Agora, valendo a vaga para a final do segundo turno do Estadual, Tricolor e Tubarão vão escrever mais um capítulo histórico dos confrontos. Vale, além da passagem para a decisão da Taça Caio Júnior, a manutenção do bom momento que foi retomado recentemente na temporada.