O empate do Paraná Clube em 1×1 com o Vila Nova, nesta sexta-feira (30), foi lamentado pelo elenco, porém também exaltado como um jogo em que o time apresentou um futebol mais agressivo se comparado a outros confrontos em casa. O duelo foi na Vila Capanema e foi válido pela 20ª rodada da série B do Campeonato Brasileiro. O Tricolor soma agora 29 pontos na competição.

+ Leia mais: Tricolor sai na frente, mais cede empate ao Vila Nova

A equipe paranista tem sofrido para vencer em casa e o discurso do técnico Matheus Costa antes do início do returno da Segundona era de que o time faria valer o fator casa nessa nova fase da disputa. Porém, o placar igualado decretou o sexto empate em dez jogos na Vila Capanema na Série B. Os cinco demais tinham terminado em 0x0.

Diante do Vila Nova, o Paraná saiu na frente, com gol de Jenison aos dois minutos, mas levou o empate aos 25 de Gustavo Henrique. A rede balançou somente no primeiro tempo. No restante da partida, o Tricolor chegou a criar chances de gol, mas não conseguiu consolidar a vitória.

+ TRIBUNA ESTREIA SEU PODCAST DE FUTEBOL PARANAENSE! SAIBA COMO BAIXAR E OUVIR O PODCAST DE LETRA!

O atacante Bruno Rodrigues desconsiderou o fato do time não sair com os três pontos. Para ele, o grupo mostrou uma boa postura em campo. “O time está de parabéns pelo desempenho, fomos bem melhores do que nos outros jogos em casa. Somamos um ponto e isso é excelente, isso que é importa”, opinou.

Jenison mostrou muito espírito de luta. Foto: Albari Rosa
Jenison mostrou muito espírito de luta. Foto: Albari Rosa

O zagueiro Leandro Almeida se mostrou descontente pelo time não ter conquistado a vitória, mas também viu o elenco com melhor aproveitamento em campo. “É complicado. A gente sabe que tem que fazer nossa força dentro da Vila. Não conseguimos de novo a vitória porque tomamos um gol bobo, mas no segundo tempo criamos muitas oportunidades. Uma pena que a bola não entrou”, disse.

+ Confira a classificação completa da Série B!

Já o lateral-esquerdo Guilherme Santos apontou o fator psicológico como determinante para decretar o empate. No entanto, assim como os colegas, ele acredita que o time provou que tem futebol para brigar para subir na tabela. “A gente cochilou, demos bobeira, e levamos o empate. O futebol muitas vezes é mental, deixamos se perder o que fracassou nossa equipe de sair com a vitória, mas temos que levantar a cabeça porque mostramos que temos capacidade de fazer jogos melhores nesse segundo turno”, finalizou.