Líder isolado do Campeonato Paranaense, o Paraná Clube vira a chave e foca agora no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil diante do ASA, nesta quinta-feira (16), às 21h30, em Arapiraca. Depois de passar pelo Bahia, na semana passada, o Tricolor curte o bom momento na temporada e tem chances reais de chegar à próxima fase da competição nacional. Se conseguir, o clube lucrará mais R$ 750 mil e terá, assim, uma saúde financeira maior neste início de temporada.

O técnico Wagner Lopes, satisfeito com a atuação do Paraná na vitória de virada por 2×1 sobre o Cascavel, fora de casa, afirmou que a hora agora é de virar a chave. Esse rodízio feito no time paranista, segundo ele, está fortalecendo ainda mais o Tricolor para a sequência da temporada.

“Nós precisamos virar a chave para começar a pensar no ASA. É o que eu falo, cada vez mais nós exigimos que o nosso grupo tenha uma disputa interna leal. O mais importante é que quem vai ganhar com isso é o Paraná, fazendo com que o coletivo seja cada vez mais importante que o individual, para que tenhamos uma equipe competitiva e que dê orgulho para a nossa torcida”, afirmou Lopes.

Apesar de ter reformulado totalmente seu elenco e de ter contratado nada menos do que 20 jogadores, o Paraná está surpreendendo neste início de 2017. O Tricolor foi derrotado apenas uma vez, diante do Coritiba, no Couto Pereira e, recentemente, eliminou o Bahia, da Copa do Brasil. Wagner Lopes, no entanto, está trabalhando com a equipe paranista para também conseguir reagir bem às adversidades e às críticas.

“Esse é um momento que nós procuramos trabalhar para quando as coisas não fluírem. Muitas vezes no Brasil nós somos julgados erroneamente por conta de resultados adversos. Então, temos que prepará-los também para saberem reagir quando vier a crítica. Nós sabemos que não existe time imbatível e que temos que ter humildade e os pés no chão para trabalhar mais e melhor”, arrematou o treinador.