Um dos pontos fortes do Paraná Clube ao longo da temporada vinha sendo a defesa. A dupla de zagueiros formada por Thales e Fabrício se encaixou bem e vinha dando ótimos resultados, tanto lá atrás, quanto na frente, marcando gols importantes.

Porém, no início da Série B, Thales estava emprestado pelo Colorado e acabou negociado pelos gaúchos com o futebol europeu. Surgiu então uma posição entre os titulares, que acabou ficando com um recém-chegado ao Tricolor.

Após boas atuações no Campeonato Paranaense pelo Rio Branco, o colombiano Salazar foi contratado para a disputa da segunda divisão. Até a saída de Thales, ele havia jogado apenas um minuto, quanto entrou no final da vitória por 3×1 sobre o Juventude, pela terceira rodada. Na oitava, assumiu a vaga e não saiu mais.

+ Blog do Cristian: Goleada tira peso das costas do Tricolor

Inclusive, com a lesão de Fabrício, passou a exercer também uma função de liderança na defesa e nos altos, literalmente, dos seus dois metros de altura, organizou a cozinha paranista.

“Ele tem uma liderança muito positiva, é um líder nato. No vestiário, no jogo mesmo ele orienta”, disse Tcheco, que foi treinador do defensor no Rio Branco no Paranaense e também seu primeiro comandante no futebol brasileiro.

Início de Salazar no futebol brasileiro foi no Coritiba

Em 2015, o colombiano, então com 20 para 21 anos, deixou o Expresso Rojo, seu clube no país natal, e veio para o Brasil, mais precisamente para o Coritiba, onde passou por um período de testes e trabalhou no time de aspirantes, que tinha justamente Tcheco como técnico.

“O Salazar acabou aparecendo pelo controle de análise de desempenho do clube e também por empresários que oferecem alguns nomes. Nós filtramos alguns atletas para avaliarmos e foi o caso dele. Ele fez um mês de avaliação, que era o período que eu achei ideal para poder avaliá-lo e ele acabou passando”, lembrou o treinador.

Salazar (de costas, com a camisa 3) foi comandando por Tcheco no sub-23 do Coritiba, em 2015. Treinador foi quem deu a primeira oportunidade a ele no futebol brasileiro. Foto: Divulgação/Coritiba

Depois de uma temporada no Coxa, Salazar rodou o país. Jogou no Ceará, Camboriú, Barra-SC, Avaí, Prudentópolis, Rio Branco, ASA e Andraus. Para esta temporada, já estava no radar para voltar ao Leão da Estradinha e reencontrou Tcheco, que viu um zagueiro muito mais preparado.

Qualidades e evolução

“Ele precisava melhorar um pouco a coordenação por ser muito alto. Ele já era bom tecnicamente, só precisava aprimorar e está concretizando isso agora, com saída de bola, visão de jogo. Ele só precisava de bagagem, conseguiu isso passando por outros clubes e vai evoluir ainda mais”, cravou o técnico.

Desde os tempos de Coritiba Salazar já chamava a atenção pela altura. Jogador precisou melhorar posicionamento por conta dos dois metros de altura. Foto: Divulgação/Coritiba

E foram essas referências que ajudaram o Paraná a contratá-lo. Tcheco foi consultado pela comissão técnica paranista a respeito do zagueiro e isso ajudou na sua contratação.

+ Confira a classificação completa da Série B!

Com ele em campo como titular, o Tricolor sofreu dez gols, mas por conta da goleada por 4×0 para o CSA e o empate em 3×3 com o Cuiabá. Em quatro jogos a defesa passou intacta. As boas atuações foram coroadas com o primeiro gol pelo time, na goleada por 4×0 sobre o Oeste, na última segunda-feira (26).

“Eu falei que quando ele tivesse a primeira oportunidade ele não sairia mais. Ele transmite confiança para o grupo e para o treinador”, completou Tcheco.

Salazar comemora com os companheiros. Zagueiro em pouco tempo já mostrou uma liderança em campo. Foto: Albari Rosa/Foto Digital/Tribuna do Paraná

+ Mais do Tricolor:

+ Paraná não contará com artilheiro contra o Cruzeiro
+ Allan Aal comemora retomada do ataque do Paraná na Série B
+ Ex-goleiro do Paraná vai pra linha em jogo da Série C


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?