O Londrina vem a Curitiba para enfrentar o Paraná Clube no domingo (25), às 16h, na Vila Capanema. A vitória vale vaga na final da Taça Caio Júnior, mas o Tubarão terá um adversário que não vai facilitar. O Paraná está invicto desde a chegada do técnico Rogério Micale e soma, neste segundo turno, quatro vitórias e um empate. Além disso, o Tricolor tem sido uma pedra no sapato do time do interior. No ano passado, o Londrina chegou a sonhar com o acesso e a estar muito perto do G4 da Série B do Brasileirão, mas viu o rival carimbar seu passaporte para o acesso e ficar de fora do acesso.

No primeiro turno do Campeonato Paranaense, o Alviceleste terminou em terceiro no grupo B e ficou de fora das fases finais. Na segunda fase, o time só confirmou sua participação na etapa de mata-mata depois de golear o Rio Branco por 4×1 e contar com o resultado igualado na partida entre Toledo e Atlético, que terminou em 1×1.

Velhos conhecidos, os técnicos das duas equipes projetam um jogo equilibrado. No lado do Londrina, Marquinhos Santos lembra que a trajetória dos times na competição são parecidas, já que trocaram de treinadores e viram uma mudança de postura em campo.

“São 50% para cada lado. É um grande adversário, que vem em uma crescente, com um grande trabalho do (Rogério) Micale. São dois treinadores que chegaram no decorrer da competição e conseguiram desenvolver um trabalho e levar as equipes à semifinal”, avaliou o técnico do Londrina.

Confira como ficou a classificação da Taça Caio Júnior!

Sob o comando de Marquinhos Santos, o Tubarão também não perdeu. Foram três jogos com duas vitórias e um empate. O treinador contou que não é a primeira vez que os comandantes disputam uma classificação, um contra o outro. “Novamente decidindo uma vaga contra o Micale, muitas vezes nos enfrentamos nas categorias de base, depois nos encontramos na seleção brasileira, sucedendo o Ney Franco. É muito gratificante”, finalizou.