Na última quinta-feira (12), os torcedores do Paraná Clube ficaram apreensivos com a possibilidade de verem o técnico Rogério Micale ir embora, após receber uma proposta para comandar a seleção do Iraque. No entanto, o treinador, embora tenha admitido que foi procurado, garantiu que o foco dele é no Tricolor e que irá cumprir o contrato.

“É um assunto um pouco delicado e gostaria de deixar para o nosso torcedor que estou focado no Paraná Clube. Esse tipo de sondagem acontece, ainda mais que vamos entrar em um ciclo olímpico. Acabou a Copa do Mundo e várias seleções estão sem treinadores. A conversa com o Iraque não chegou até mim, eu tenho uma pessoa que trata disso e deixei claro que meu foco, a princípio, é totalmente aqui. Minha expectativa é concluir bem o trabalho aqui”, afirmou ele, após o amistoso contra o River Plate, do Uruguai.

Desde que chegou ao Paraná Clube, em fevereiro, esta é a terceira vez que Micale recebe uma proposta para ir embora. No entanto, a do Iraque foi a primeira que gerou repercussão, algo que incomodou o comandante paranista.

“Estou muito adaptado aqui. Essa é a terceira vez e já tinha passado a minha posição. Não gosto dessas coisas vazarem desse jeito, sem uma posição minha. Faz parte, é um processo, e sei que virão outras (propostas). Mas meu momento é aqui e enquanto eu estiver aqui estarei com a cabeça voltada ao Paraná”, acrescentou o técnico.

Amistoso

Em relação ao duelo com o River Plate, que acabou com a vitória do Paraná Clube por 2×0, o treinador aprovou a atuação do time e viu evolução, mas ressaltou que algumas coisas precisam ser melhoradas ainda, principalmente no ataque.

“Foi válido o amistoso, com característica de jogo, em estádio, com torcida, contra um clube que disputa a primeira divisão de seu país. Acho que sentimos em alguns momentos esse ritmo, que é normal, mas evoluímos bem em algumas coisas. Nosso goleiro fez apenas uma defesa o jogo todo, tivemos a chance de fazer mais, com chances claras, bola na trave. E batemos muito nisso, de aproveitar as chances criadas, porque em uma competição como o Brasileiro você tem poucas oportunidades”, completou Micale.