Com um empate e uma derrota nos últimos dois jogos, ambos fora de casa, o Paraná Clube não voltou para Curitiba com o objetivo traçado pela comissão técnica. Com apenas um ponto conquistado, a equipe precisa se recuperar nos próximos jogos na Vila Capanema, diante de Ceará e América-MG.

A ideia paranista era de sair dessa ‘mini excursão’ pelo Sul com quatro pontos. A igualdade sem gols em Porto Alegre com o Internacional até esteve dentro dos planos, apesar de ter tido possibilidade de sair com a vitória, tendo um gol anulado de Gabriel Dias. Contra o Criciúma, após duas bolas na trave, o ala Cristovam foi expulso e o time se desencontrou, perdendo por 2×0.

“Estabelecemos quatro pontos em dois jogos e não conseguimos atingir. Agora é pensar em um confronto de cada vez, claro, mas temos que vencer as duas partidas. Temos que fazer nosso papel em casa e beliscar alguns fora”, afirmou o meia Renatinho.

Agora, o desafio é fazer valer o mando de campo. Com o técnico Cristian de Souza na Série B, foram vitórias duas vitórias (Goiás e Figueirense), um empate (Paysandu) e uma derrota (Guarani), com apenas três gols marcados. Um retrospecto diferente do antigo treinador, Wagner Lopes, que se despediu do clube invicto e com triunfos convincentes.

“Não fugimos da característica que já tínhamos, não perdemos nossa identidade. É uma cobrança natural, perdemos já em casa e saímos vaiados. É uma situação complicada, mas as vitórias voltando, a torcida vai aplaudir. Temos que vencer”, completou o jogador.

Com a semana cheia, o meio-campista acredita que o Tricolor possa melhorar o rendimento e conseguir ajustar o sistema ofensivo, terceiro pior da Série B, com oito gols em dez duelos. Renatinho admitiu que está faltando calma e tomar melhores decisões no terço final do campo.

“Os detalhes que, às vezes, não dão para passar no dia a dia, com essa essa semana ajuda bastante. É importante ter esse tempo maior de recuperação e de qualidades nos treinamentos para ajudar nos jogos. Já conversamos com o Cristian de Souza e fizemos um trabalhinho nesse sentido‘, declarou.

Com Brock suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Wallace é o substituto natural e entrará em campo no final de semana. O zagueiro, que sabe da necessidade de gols lá na frente, também quer ajudar nas bolas paradas.

“Ele (Brock) é nosso líder, vem muito bem e fazendo grandes partidas. Já tive a oportunidade de jogar e estou buscando meu espaço. Quero uma sequência e, se eu entrar mesmo, quero dar meu melhor. É fazer nossa parte ali atrás e também tentar ajudar ali na frente, em jogadas aéreas. Tive chance contra o Náutico, foi por pouco‘, finalizou.