SELO_PARANAENSE_2018_WEBO ano de 2018 promete ser empolgante para o Paraná Clube. Com a tão sonhada vaga garantida na série A do Campeonato Brasileiro, os primeiros meses do ano serão dedicados a uma missão que há tempos vem se mostrando mais complicada do que parece: a conquista do título paranaense.

Nos últimos quatro anos de disputa no estadual, o Tricolor terminou na ponta da tabela na primeira fase, em três ocasiões – 2014, 2015 e 2017 -, mas acabou caindo nas fases seguintes, mesmo fazendo bonito no início da competição. No ano passado, por exemplo, depois de terminar em primeiro lugar na primeira fase, foi eliminado pelo Atlético, então classificado apenas em oitavo. Por isso, será necessário que, desta vez, o Paraná tenha regularidade ao longo do torneio, que mudou seu regulamento e terá as fases finais em jogos únicos de mata-mata.

Caso venha a se concretizar, a conquista do título paranaense poderia coroar a comemoração pelo acesso, depois de 10 anos na Série B, e tirar um peso das costas do torcedor: campeão supremo do estadual da década de 1990 – foram seis canecos erguidos no total no período – o Paraná Clube não conquista o título desde 2006. Em 2012 a equipe disputou a Série Prata do Estadual, em um período complicado da história paranista, em meio a crises financeiras e de gestão.

Novo momento

Os anos de dificuldade no Tricolor são páginas viradas. Embalado por um 2017 cheio de feitos – questões financeiras saneadas, recordes de público nos dois estádios dos times adversários e a volta à elite do futebol nacional – a torcida quer o caneco e vai esperar que o time continue demonstrando dentro de campo a garra paranista. E é justamente por essa boa fase que o Paraná Clube entra na competição como um dos favoritos ao título.

Contando com aproximadamente 35 jogadores no elenco, entre contratações, atletas remanescentes e outros jogadores da base que foram promovidos ao time principal, o executivo de futebol do Tricolor, Rodrigo Pastana, enfatiza que essa será a estrutura da equipe ao longo do ano.

“Nossa pretensão inicial é formar agora 70% do elenco e deixar apenas algumas lacunas para serem preenchidas depois do Estadual”, disse Pastana.

Se depender do técnico Wagner Lopes, os paranistas podem preparar o coração para viver mais momentos de fortes emoções nos próximos meses.

“Nunca joguei o Campeonato Paranaense como atleta, mas carrego um dilema na minha carreira e na minha vida, que todo jogo que eu jogo é para ganhar. Tenho certeza que o foco do Paraná não será diferente. Todo time entra em campo para ganhar. Pela sua grandeza, o Paraná tem que brigar por títulos. Ir em busca do Paranaense primeiro, depois tem Copa do Brasil. O objetivo principal é permanecer na Série A. Sendo assim, pensando em algo maior, o foco é no Paranaense agora. A gente espera conquistar esse título que faz tempo que o clube não conquista”, arrematou.