Depois de praticamente ficar sem risco de rebaixamento após vencer o CRB, semana retrasada, na Vila Capanema, o Paraná Clube voltou a se preocupar com uma possível queda depois de ser derrotado por 1×0 pelo Joinville, até então vice-lanterna da Série B, no último sábado (15), fora de casa. A situação do Tricolor, no entanto, pode ficar ainda mais complicada, já que joga diante do Vasco, como mandante, mas a partida foi vendida e vai ocorrer em Cariacica, no Espírito Santo.

Frágil nos jogos fora de casa – 4 derrotas nos últimos 4 jogos -, o Paraná poderia até tentar reverter o quadro diante dos cariocas, que não vivem bom momento, mas com o jogo marcado longe da Vila, as chances de sucesso diminuem bastante, uma vez que o adversário jogará praticamente em casa. O técnico Roberto Fernandes, que tem uma vitória conquistada em quatro jogos a frente do time paranista, lamentou não poder jogar diante da torcida.

“Jogar longe de casa no futebol é terrível, não é bom nunca. Estou chateado porque aqui fiz quatro jogos, sendo três deles fora de casa. Jogar em casa é sempre melhor, independentemente da situação”, apontou o comandante paranista.

Um possível tropeço contra o Vasco, vice-líder da Série B, aliado a vitórias de Bragantino e Joinville contra Ceará e CRB, respectivamente, pode fazer a diferença para a zona de rebaixamento cair até para três pontos e tornar a reta final da competição dramática. Pior do que isso, o Tricolor não vem jogando bem e tem sido presa fácil para seus adversários.

Depois do revés sofrido para o Joinville que, até a última rodada era o pior mandante da Série B e tem o pior ataque da competição, as chances de queda do Paraná subiram um pouco. Segundo o site Infobola, do estatístico Tristão Garcia, o time paranista tem 7% de risco de jogar a Série C em 2017.