Após o Paraná Clube sair de campo com uma nova derrota no Campeonato Brasileiro, o técnico Claudinei Oliveira fez questão de demonstrar sua insatisfação com a arbitragem do jogo com o Sport. O Tricolor perdeu por 1×0, mas teve um gol anulado de forma incorreta. Aos 23 minutos do primeiro tempo, Rafael Grampola recebeu um lançamento de Silvinho e mandou para o fundo das redes. Porém, o árbitro assistente assinalou impedimento e o juiz aceitou a determinação. O trio de arbitragem foi composto por Emerson de Almeida Ferreira, como árbitro central, auxiliado por Celso Luiz da Silva e Marcus Vinicius Gomes, todos de Minas Gerais. O técnico paranista lembrou que já havia indicado a falta de experiência do juiz.

“A gente alertava. Estamos na 22ª rodada e como esse árbitro não apitou nenhum jogo até agora na Série A? Será que ele é um cara que tem a competência para apitar um jogo importante desse? Talvez um dos mais importantes da rodada, porque não tem que olhar só para a parte de cima da tabela, nós estamos jogando a nossa vida, assim como o Sport”, lamentou Claudinei, comentando que não foi a primeira vez que o Paraná Clube foi influenciado pela falta de ‘bagagem‘ do árbitro.

LEIA TAMBÉM NA TRIBUNA: MORRE POLICIAL BALEADO EM AÇÃO ORQUESTRADA POR TRAFICANTES

“Já tivemos problemas com árbitros sem experiência no jogo contra o Corinthians”, exemplificou. Emerson de Almeida Ferreira tem 40 anos e o duelo entre Paraná Clube e Sport foi o primeiro que ele apitou em 2018, pelo Brasileirão. No ano passado ele esteve no apito em somente um jogo na elite do futebol nacional: Coritiba e Vasco da Gama. A partida acabou em 2×2. São 30 jogos, no total, que ele tem em seu currículo na Série A.

O árbitro responsável por apitar o jogo do Tricolor contra o Corinthians foi André Luiz de Freitas Castro. Com 44 anos, aquela partida também marcou a estreia dele na Série A em 2018. Na temporada passada, ele apitou 11 jogos na Série A, mas conta com 115 partidas em seu histórico na primeira divisão.

CONFIRA A TABELA E A CLASSIFICAÇÃO DO BRASILEIRÃO!

Tendo em vista o lance em que o time foi prejudicado, o comandante paranista alertou sobre como o panorama do jogo poderia ter mudado caso o gol legal não tivesse sido anulado.

“Foram duas bolas na trave e um gol mal anulado. Ninguém está julgando a índole ou a honestidade, mas o gol foi legal. Isso faz muita diferença, poderia mudar o jogo, aumentar a nossa pressão em cima do Sport”, destacou Claudinei.

Agora, em uma situação complicada, o Tricolor recebe a Chapecoense nesta quarta-feira (5),a partir das 21h, na Vila Capanema. O time, que não vence há oito jogos, é o lanterna do Brasileirão com apenas 15 pontos somados em 22 partidas.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!