SELO TAMO JUNTO PARANÁ CLUBE

O Paraná Clube está com o mando da última rodada da Série B garantido. Na manhã desta terça-feira (14), o Tricolor foi julgado e absolvido por unanimidade de votos pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por conta do copo de cerveja arremessado no gramado da Vila Capanema na vitória por 2×1 sobre o Criciúma, no dia 13 de outubro.

Na ocasião, o copo atingiu o goleiro Luiz, do time catarinense, mas rapidamente o clube paranista identificou o torcedor e o encaminhou para a polícia, o que pesou na decisão do STJD.

Com isto, o Paraná Clube poderá mandar o jogo contra o Boa Esporte, no dia 26 de novembro, onde quiser. Até segunda ordem, o duelo será na Vila Capanema, mas estuda-se a transferência para o Couto Pereira ou a Arena da Baixada. A partida foi “adquirida” pelo empresário Carlos Werner, principal parceiro do Tricolor, e por isso cogita-se a mudança de local.

Pela relação de Werner com Mário Celso Petraglia, o confronto seria na Arena; pela preferência de parte da diretoria tricolor, seria no Couto. Mas há internamente quem defenda a permanência do duelo na casa paranista, justamente por ser o último jogo da Segundona.

Entenda o caso

Na súmula do árbitro mineiro Igor Junio Benevenuto consta que um torcedor tricolor atirou cerveja no goleiro adversário. O arqueiro do Criciúma, Luiz Silva Filho, inclusive, também foi citado e será julgado no mesmo processo.

A pena para estes tipos de casos vai de pagamento de multa a perda de mando de campo. No entanto, como o incidente foi isolado, sem incitação de confusão com outros torcedores ou atletas, a defesa acredita na absolvição. “O Paraná Clube prontamente identificou o torcedor e o encaminhou à autoridade policial. Também foi registrado o boletim de ocorrência”, diz o advogado do clube, Alessandro Kishino.

Confira a classificação completa da Série B

Em um caso semelhante ocorrido na partida entre Coritiba e Atlético-MG, no Couto Pereira, um torcedor invadiu o gramado. Mas como o infrator foi identificado e encaminhado à polícia, o clube acabou absolvido.