Na lanterna do Campeonato Brasileiro, o Paraná Clube, já na reta final do primeiro turno, prefere deixar as contas de lado e pensar jogo a jogo. Quem garante isso é o técnico Rogério Micale, que está focado no duelo diante do Botafogo, neste domingo (12), às 11h, na Vila Capanema. Segundo o treinador, a meta do time paranista está em conseguir alcançar o Bahia, que tem cinco pontos a mais na classificação e é o primeiro time fora da zona de rebaixamento do Brasileirão.

“Não faço contas. Esse tipo de conta só vai atrapalhar a gente. É um objetivo mais distante. A minha conta é cinco pontos, é o Bahia. A gente precisa ganhar do Botafogo. Se o Bahia não ganhar e outros não ganharem, aí vai nos deixar a dois pontos. Se eu falar que preciso de 46 pontos está muito distante ainda. Precisamos no mínimo chegar na 16ª posição. É o grande objetivo do Paraná, estar em 16º”, apontou ele.

Mesmo com esse pensamento jogo a jogo, Micale admitiu que, por conta do desequilíbrio apresentado até agora no Campeonato Brasileiro entre a parte de cima e a parte debaixo da classificação, a média de corte de rebaixamento pode ser menor. O comandante paranista acredita que com 42 pontos o Paraná Clube pode escapar do rebaixamento. Ou seja, seria preciso fazer mais 30 pontos até o final da competição.

“O pensamento é jogo a jogo. Adversário a adversário. Não sei se será 46 pontos. Pelo jeito que o campeonato está desenrolando, essa conta pode não ocorrer. Isso pelo desequilíbrio que está acontecendo em cima. Pode dar (para escapar do rebaixamento) com 42. Então, é uma coisa que vamos jogo a jogo. Está difícil ganhar uma, imagina se pensar em 46”, reforçou o treinador.

Confira a classificação completa do Brasileirão

Até o final do Brasileirão, o Tricolor, além de vencer os jogos, terá que torcer contra seus concorrentes. O técnico, no entanto, prefere focar somente no desempenho da equipe e deixar de lado os concorrentes diretos do clube na luta contra o rebaixamento.

“Não penso nisso. Vimos Santos e Ceará, foi 1×1. Um ponto para cada. Não quer dizer que todos que estão embaixo vão ganhar ou vão perder. É não pensar nessas coisas, em suposições. É pensar em realidade, não pensar nos outros. É pensar quem está na nossa frente. No Bahia, que temos cinco pontos e vamos atrás dos cinco pontos. Mas não tem muito que ficar que esse aquele tem que ganhar ou perder”, encerrou Micale.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!