Desde o dia 17 de janeiro, quando estreou no Campeonato Paranaense, até a última vez que entrou em campo, no jogo contra o Botafogo, pelo Campeonato Brasileiro, o Paraná Clube já utilizou 48 jogadores diferentes. A alta rotatividade no ano se deve, principalmente, ao fato de o Tricolor não ter encontrado, ainda, o time ideal. Tarefa que fica para o novo técnico Claudinei Oliveira.

A alta rotatividade começou desde o início do Estadual. Na estreia contra o União, por exemplo, em que saiu derrotado por 2×1, o guardião da meta foi Hugo, que depois disso não foi mais aproveitado. Na ocasião, a diretoria foi criticada por colocar um jogador tão inexperiente, mas com Richard e Luís Carlos machucados, o time teve que ‘apelar‘ para o garoto da base. Hugo hoje treina no Rio Branco, do Acre.

Outros nomes, além dos citados, que chegaram como reforços no Tricolor – ou ainda que tinham permanecido da temporada passada -, mas já deixaram o clube, foram os meias João Paulo, Matheus Pereira e Carlos Eduardo, o centroavante Zé Carlos, o zagueiro Márcio, o lateral Alemão e os atacantes Vitor Feijão, Lucas Fernandes e Felipe Augusto. No clube dos atletas que entraram em campo em apenas uma oportunidade e já deixaram a Vila Capanema também estão Minho, Luan Viana e Alemão Jr.

E ainda que muitos jogadores tenham vindo para o elenco do Paraná Clube, alguns setores permanecem carentes, o que pode apontar uma falta de assertividade nas contratações. Contra o Botafogo, por exemplo, o ex-treinador Rogério Micale precisou improvisar na meia-cancha. Durante a partida, o time ficou sem Maicosuel, que sentiu dores e precisou ser substituído. A opção do treinador foi colocar um atacante na equipe, deixando o setor sem alguém que proporcionasse a ligação entre os setores. Mesma situação na defesa, onde o lateral-esquerdo Igor foi para a zaga.

Utilizar um grande número de atletas no ano não é exclusividade do Tricolor. O Atlético também não fica muito atrás no quesito rodízio de atletas. Foram 47 jogadores que vestiram a camisa do Rubro-Negro em 2018 em competições oficiais. Porém, vale ressaltar que o Furacão disputou o Paranaense com uma equipe alternativa e que grande parte daquele time voltou à base ou foi dispensado do clube. Além disso, entrou em campo mais vezes do que o Paraná Clube, uma vez que foi mais longe na Copa do Brasil e disputa a Sul-Americana. São 32 jogos do time paranista na temporada contra 45 do Atlético.

Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

No Tricolor, alguns reforços foram prometidos e devem desembarcar em breve na Vila Capanema, já que a data limite de inscrição de atletas no Brasileirão é até o dia 4 de setembro. Enquanto isso não acontece, Claudinei Oliveira terá que trabalhar com o que tem.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!