Misterioso, o técnico Luciano Gusso não quis confirmar o Paraná que enfrenta o Operário hoje, às 22h, no estádio Germano Krüger, pelo jogo de volta das quartas de final do Campeonato Paranaense. Com três desfalques, o treinador tem apenas uma dúvida.

O lateral Netinho, o volante Jean e o atacante Rossi estão suspensos. Os dois primeiros pelo terceiro cartão amarelo, enquanto o terceiro foi expulso na partida de ida, no Couto Pereira. Com isso, o Tricolor terá alterações na equipe que ficou no 0x0 contra o Fantasma no último sábado.

Gusso, desde que assumiu o time, afirma que não gosta de alterar o time e faz, na maioria, por necessidade. Por isso, colocará Rodrigo Gasperin e Ricardo Conceição no time titular. No ataque, a dúvida está entre Yan Phillipe e Maiquinho. O resto segue o mesmo. “Está dando certo (evitar mexer no time). A intenção é dar sequência para quem está entrando bem e dando conta do recado. Não vai mudar muito”, prometeu o treinador. Um exemplo disso é na zaga, que sofreu nove gols e perde apenas para Londrina (sete) e Coritiba (oito) até aqui. O comandante paranista acredita que o setor é o ponto forte da equipe. “Até pela sequência que o setor tem tido. A estrutura tem sido quase sempre igual”, destacou.

O técnico do Paraná acredita que o Operário, por suas características, vai se lançar ao ataque e garante estar preparado para esse cenário. Na primeira fase, o Tricolor atuou dessa forma e conseguiu vencer por 3×1, fora de casa. “Repetir aquilo ou até melhorar. Temos criado chances. Falta definir, ter mais atenção e cuidado quando aparecer oportunidades. É aproveitar e ter eficiência na hora”, afirmou.

Caso não consiga o triunfo no tempo normal, qualquer empate coloca a vaga para a semifinal nas penalidades máximas. Gusso, entretanto, prefere decidir nos 90 minutos. “Se possível, decidir antes”, brincou. Se passar de fase, o Paraná acredita que o título é possível. “É uma responsabilidade grande. Vamos em busca disso, estamos dentro do objetivo e temos condições para isso. Se passarmos, vamos chegar fortes”, garantiu Gusso.