Foi exatamente uma década de sofrimento na Série B do Campeonato Brasileiro. Dez anos de martírio e o Paraná Clube, enfim, em 2017, conseguiu retornar à elite do futebol nacional. No entanto, pouco mais de um ano depois da conquista do acesso, o time que marcou história no Tricolor foi desmanchado. Poucos jogadores daquele elenco restaram, a base da equipe que conseguiu recolocar o clube de novo entre os grandes foi desfeita e pode ter novas baixas para o ano que vem, quando a segunda divisão voltará a ser realidade entre os paranistas.

+ Leia também: Com pouco dinheiro, Tricolor mais uma vez aposta em mercado alternativo

Do time que subiu à primeira divisão, somente o goleiro Richard, o lateral-direito Junior, o lateral-esquerdo Igor e o volante Leandro Vilela ainda fazem parte do elenco. Para piorar, somente um deles pode seguir no Tricolor.

Junior e Igor já estão de malas prontas e, em breve, seguirão caminho para o CRB. Junior, inclusive, foi anunciado pelo time alagoano. Richard, que foi um dos poucos jogadores que, em 2018, conseguiu se salvar diante da campanha ruim do Paraná Clube no Brasileirão, despertou o interesse do Fluminense. No entanto, o arqueiro tem contrato com o Tricolor até 2020 e uma possível negociação renderia recursos para o caixa em um ano que a diretoria verá uma queda considerável no seu orçamento.

+ Mais na Tribuna: Paraná Clube já está com a pré-temporada definida

Caso o arqueiro, de fato, vá embora, o único titular do time que levou o Paraná ao acesso à primeira divisão em 2017 que sobraria seria o volante Leandro Vilela. Revelado nas categorias de base paranista, o jogador fez uma temporada irregular em 2018, mas ainda tem contrato e deve seguir no elenco para o ano que vem.

+ Vai e vem: Confira TODAS as notícias sobre o mercado da bola!

Ter feito esse desmanche do time que conseguiu o acesso à primeira divisão pode ter sido um dos fatores do insucesso do Paraná Clube em campo em 2018. O Internacional, por exemplo, que subiu junto com o Tricolor em 2017, manteve vários jogadores que garantiram o retorno do clube à elite. Assim, o Colorado fez uma grande campanha, terminou em terceiro e conseguir uma vaga na Libertadores.

Já a equipe paranista fez o caminho inverso. Ao final da Série B de 2017, o Tricolor, mesmo com mais capacidade financeira, não conseguiu segurar seus principais jogadores. O lateral-direito Cristovam, os zagueiros Eduardo Brock e Maidana, os volantes Vinicius Kiss e Gabriel Dias, os meias Renatinho e João Pedro, além dos atacantes Alemão e Róbson puxaram a fila do desmanche de um dos melhores times da história do Paraná.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!