O rebaixamento do Paraná Clube para a Série B do Campeonato Brasileiro se aproxima a cada rodada. O fato pode ser consumado no próximo domingo (4), quando o Tricolor recebe o Vitória, vice-lanterna do Brasileirão, às 17h, na Vila Capanema. A 17 pontos de distância do América-MG, primeiro clube fora da ZR, um novo tropeço pode selar a despedida precoce do Paraná da elite.

Nos bastidores do clube, a Série B já é uma realidade. O pensamento e o planejamento já está voltado para a próxima temporada. A comissão técnica já está definida. Quando chegou, o técnico Dado Cavalcanti assinou contrato até o final de 2019. Ao seu lado, ele contará com o apoio do ex-jogador Lúcio Flávio, que recentemente assumiu a função de auxiliar técnico. No comando do departamento de futebol e na responsabilidade da montagem do elenco para o ano que vem estará o ex-goleiro Marcos.

+ Leia mais: Paraná é condenado a pagar cerca de R$ 300 mil a ex-jogador

Dentro de campo, uma limpa no elenco deverá ser feita. São poucos os atletas que possuem contrato para a próxima temporada. O principal deles, sem dúvida alguma, é o goleiro Richard, que tem vínculo com o Paraná até 2020 e já manifestou a sua vontade de permanecer na Vila Capanema. Por outro lado, a tendência é que seus suplentes – Thiago Rodrigues, David e Luís Carlos – não fiquem.

Para as laterais, a situação está mais tranquila. Os titulares Júnior e Igor possuem contrato até o final de 2020. Além deles, o Tricolor ainda contará com a volta muito aguardada do lateral-direito Cristovam, titular absoluto na campanha do acesso no ano passado. Ele retorna de empréstimo e deve ficar na Vila. Outro que tem ganhado espaço entre os titulares recentemente é o lateral-esquerdo Juninho, que veio de uma parceria com o Itabaiana-SE e tem contrato por mais dois anos. Por fim, o elenco paranista ainda deve contar com os pratas da casa Kennidy para a direita e Vitinho para a esquerda. Mansur é o único que deve deixar o clube.

+ Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

A “parada” está mais complicada no setor de defesa. Atualmente, o elenco conta com Charles, Renê Santos, Rayan, Cléber Reis, Jesiel e Paulo Fales (base). Apenas o último deve permanecer. Um dos defensores da equipe do acesso, Rayan não deve ficar no Tricolor em 2019.

Na meia cancha, o Paraná deve apostar bastante nas revelações de sua categoria de base. Caso o volante Jhonny Lucas não seja negociado, a tendência é que ele seja a principal aposta do elenco para 2019. Ao seu lado, Leandro Vilela e Jhony Santiago também possuem contrato. Luiz Otávio, emprestado ao CRB, volta de empréstimo. Os jovens Gabriel Pires e Alesson (tem contrato até março de 2019) também devem ser mais utilizados.

Para o ataque, o técnico Dado Cavalcanti larga com sete opções: Andrey, Rodrigo Carioca, Raphael Alemão, Iacovelli e Felipe Augusto do atual elenco, além de Minho e Vitor Feijão, que voltam de empréstimo. A base paranista será jovem em 2019 e a expectativa é que reforços pontuais cheguem para que o próximo ano seja de reconstrução do Tricolor.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!