Se, por um lado, os jogadores do Paraná Clube, assim como o técnico Claudinei Oliveira, reclamaram bastante da atuação do árbitro Dewson Fernando Freitas da Silva, na partida do último domingo (09), que acabou em 2×0 para o Santos, por outro, o próprio juiz também ficou incomodado com a postura de alguns representantes paranistas. Na súmula da partida, o árbitro do Estado do Pará relatou que foi insultado, assim como seus auxiliares, por um grupo de funcionários do clube, no intervalo da partida.

“Após o término do primeiro tempo, quando a equipe de arbitragem entrava em seu vestiário, foi abordada em uma porta que estava aberta, por um grupo de funcionários da equipe do Paraná Clube, que proferiu as seguintes palavras de forma ofensiva: ‘Vocês são um bundão (sic), seus merdas, bando de cagões”, detalhou o árbitro no documento oficial do jogo.

+ Leia mais: Claudinei Oliveira solta o verbo contra a arbitragem

Além de comentar sobre os xingamentos proferidos ao quarteto de arbitragem, na súmula também foi possível ler as considerações de Dewson da Silva sobre a expulsão do técnico Claudinei Oliveira, ainda na primeira etapa da partida. De acordo com o árbitro, Claudinei tentou intimidar Victor Ferraz, jogador do time paulista.

“Aos 35 minutos do primeiro tempo, expulsei da área técnica o Sr. Claudinei dos Santos Oliveira, técnico da equipe do Paraná Clube, por impedir a cobrança de um arremesso lateral do jogador adversário Victor Ferraz Macedo, ficando a sua frente. Após ter sido expulso o mesmo invadiu o campo de jogo e puxou o próprio jogador pela camisa, proferindo as seguintes palavras: ‘Você é um muleque, um muleque, te espero lá fora‘, ocasionando um tumulto generalizado”, relatou o árbitro.

+ Veja a tabela e a classificação do Brasileirão

Após a partida, em entrevista coletiva à imprensa, Claudinei Oliveira deixou clara sua insatisfação com a arbitragem. “O árbitro veio aqui e fez o que ele quis. Não vamos falar muito, senão a gente acaba sendo punido. O gol do Santos surgiu de uma falta claríssima em cima do Alex (Santana) que ele não deu. Aí o Santos faz o gol e está tudo certo. A gente não pode reclamar, nem os jogadores, senão é expulso. O senhor Dewson veio aqui, fez o que fez, e a gente tem que achar bonito e ser politicamente correto”, reclamou o técnico do Tricolor.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!