O técnico Rogério Micale quer que o Paraná Clube se inspire nos exemplos da Copa do Mundo para seguir em frente e se reabilitar no Campeonato Brasileiro. Atualmente na 18ª colocação, dentro da zona de rebaixamento, o Tricolor vai precisar se superar para conseguir permanecer na Série A no final da temporada. O primeiro compromisso nesse retorno será contra o Vitória, nesta quarta-feira (18), às 21h. O jogo será no Barradão e o comandante paranista quer desde já que o time mostre uma nova postura dentro da competição.

“O que essa Copa do Mundo falou é muito forte. É uma situação que eu já encontrei quando trabalha nas seleções de base. Disputava jogos pelo mundo e às vezes me deparava com times sem expressão nenhuma apresentando futebol organizado. O Paraná tem que tirar uma lição de tudo isso. Essas seleções menores não deixaram de ser competitivas”, enfatizou o treinador.

Micale destacou que por meio do maior evento esportivo do planeta foi possível tirar aprendizados importantes e lembrou que nem sempre os maiores são os melhores. Por isso, acredita que o Paraná Clube ainda pode surpreender na competição.

“Fica o legado de que o mundo está cada vez mais fazendo um futebol mais organizado e pautado em estudos. Mesmo com deficiência é possível criar um padrão para superar os mais fortes e surpreender. Croácia, Bélgica e Suécia mostraram isso, enquanto Brasil e Alemanha fizeram campanhas abaixo do esperado. Itália e Holanda ficaram de fora. O mundo está nos mostrando uma nova ordem na restruturação no futebol mundial. Não existe mais bobo no futebol e a Copa nos mostrou isso”, avaliou.

Com um orçamento menor do que os demais clubes do Brasileirão, o Tricolor vem tentando trabalhar com as peças que têm, lapidando esses atletas para que possam melhorar o rendimento o quanto antes. Mesmo assim, uma vitória em Salvador pode tirar o time da zona de rebaixamento, dando mais tranquilidade na sequência do trabalho.

“Não é porque não temos tanto dinheiro como os outros ou porque não podemos trazer os jogadores, teoricamente, que são melhores que não vamos conseguir jogar um bom futebol. Por que não podemos formar aqui dentro? Com trabalho, treinamento, conhecimento e evolução tática, os jogadores com perfil que se hoje não são (o que se espera), amanhã podem ser. Alguns jogadores como Neymar, Cristiano Ronaldo e Messi eram tidos como craques da Copa, mas a gente viu outros aparecendo com novas características”, exemplificou o comandante paranista, lembrando de alguns atletas que foram decepções da Copa do Mundo.

Confira a classificação completa do Brasileirão

Por isso, o time deve se espelhar na trajetória das equipes consideradas menores no Mundial para fazer uma boa sequência no campeonato daqui pra frente.

“Isso tudo tem que nos servir como motivação e exemplo para que o Paraná seja competitivo. A nossa ideia é transferir esse modelo para dentro da nossa realidade”, finalizou Micale.