A temporada de 2016 já está marcada pelos erros, pela falta de convicção da diretoria e pelos maus resultados em campo do Paraná Clube. Para não ficar pior, o Tricolor precisa transformar as últimas cinco rodadas da Série B em verdadeiras decisões. É uma espécie de “prêmio de consolação”, mas que pelo menos não deixa o time tão mal na fita.

Com 39 pontos e 39,4% de aproveitamento, o Paraná tem até agora a pior campanha desde que foi rebaixado para a Série B, em 2007. Para não ficar com essa “marca” neste nono ano seguido de participação, os comandados de Roberto Fernandes precisam de aproveitamento de campeão nas últimas cinco rodadas do torneio: 60% de aproveitamento.

Quer dizer: o Tricolor necessita somar pelo menos nove pontos (três vitórias) para alcançar 48 pontos, superior aos 47 conquistados pela equipe no ano passado, por ora a pior campanha completa. Para entender o tamanho da tarefa, o Atlético-GO, que lidera a Segundona, tem 61,6% de aproveitamento.

Além de o retrospecto não favorecer os paranistas, a tabela também é outro obstáculo. Depois do duelo contra o terceiro colocado Avaí, neste sábado (5), às 19h30, como visitante, a equipe paranaense ainda enfrenta Paysandu (fora), Criciúma (casa), Ceará (fora) e Tupi (casa) para encerrar a temporada.

Com o técnico Roberto Fernandes no comando, são apenas duas vitórias em seis rodadas. “O trabalho está sendo bem realizado. É claro que o objetivo era brigar na parte de cima. Não deu e, agora, é tentar a melhor colocação possível”, afirma o zagueiro João Paulo.