O Paraná Clube saiu com um gosto amargo do empate em 1×1 colhido diante da Chapecoense, na última segunda-feira (7), na Arena Condá, em Chapecó. Isto porque, segundo o meia Caio Henrique, o time paranista foi, mais uma vez, melhor que o adversário, mas não conseguiu transformar em gols toda essa superioridade durante os 90 minutos. No entanto, o primeiro ponto conquistado no Campeonato Brasileiro tirou um peso das costas da equipe tricolor.

“Acho que tira sim, principalmente porque a gente viu e analisou depois a partida. Vimos que a gente merecia ter vencido. Criamos muito mais que a Chapecoense, mas infelizmente em uma bola parada acabamos tomando o gol. Mas o time vem evoluindo bastante e tem tudo para buscar, agora, contra o Santos, os três pontos”, apontou o armador paranista.

O Paraná é, neste Campeonato Brasileiro, um dos times que mais finaliza a gol. Foram 64 vezes em quatro partidas. No entanto, segundo Caio Henrique, está faltando um algo mais. Para ele, o time paranista precisa caprichar nas finalizações para conseguir, enfim, a primeira vitória no Brasileirão.

“Falta caprichar mais na hora do último passe. A gente criou bastante situação de contra-ataque também e poderia ter matado o jogo. Infelizmente não conseguimos e serve de lição para as próximas partidas. Agora é focar no Santos e buscar os três pontos”, emendou o camisa 10 do Paraná.

Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

Com apenas dois gols em quatro jogos, o jogador frisou que, para melhorar esses números, o Paraná precisa ter mais sangue frio nos momentos decisivos das partidas. “A gente vem conversando que temos sim muitas finalizações, mas não estamos conseguindo transformar em gols. Quando chegar na frente do goleiro tem que caprichar um pouco mais, ter mais sangue frio para fazer os gols e aproveitar as oportunidades”, concluiu Caio Henrique.

Na lanterna do Brasileirão com apenas um ponto, o Paraná terá outro compromisso fora de casa. Neste domingo (13), às 19h, encara o Santos, na Vila Belmiro. A missão do Tricolor é, pela primeira vez, deixar a zona de rebaixamento do Brasileirão.