À espera do arrendamento do departamento de futebol, o Paraná Clube está com baixas perspectivas e com ações paradas para a próxima temporada. A diretoria espera uma definição no próximo dia 26 para saber quem vai assumir o comando acelerar o planejamento de 2020.

Sem condições financeiras, o presidente Leonardo Oliveira foi à Justiça para a liberação de uma intervenção no carro-chefe do clube. Com Sérgio Malucelli e Eduardo Uram como interessados, o Conselho Deliberativo vai decidir em menos de uma semana a melhor proposta para o futuro paranista. Quem vencer precisa depositar R$ 2,3 milhões para o pagamento de salários atrasados.

O Tricolor conviveu com dificuldades nos vencimentos desde o início do ano. Comissão, elenco e funcionários estão com salários atrasados desde setembro. Existem casos de agosto e até julho. Não há orçamento para pagamento de dezembro, 13º e férias, além dos débitos atuais.

Enquanto isso, o Paraná trabalha nos bastidores, mas o executivo de futebol, Alex Brasil, fica com as mãos atadas para fechar as negociações. Se a terceirização não der certo, o auxiliar Allan Aal assume o comando técnico definitivamente. Caso a parceria se concretize com Malucelli, o caminho está aberto para Alemão, que treinou o Londrina durante 2019, mas outros nomes no mercado são sondados. Vale lembrar que a pré-temporada começa no dia 2 de janeiro.

Para o elenco, duas contratações foram fechadas antecipadamente. O lateral-direito Paulinho, do Tubarão, e o atacante Mosquito, do Corinthians, estão apalavrados com o Paraná, mas aguardam uma posição para serem oficializados.

O zagueiro Fernando Timbó renovou até o fim do Estadual. Outros atletas que eram do interesse, como os meias Fernando Neto e Itaqui e o zagueiro Leandro Almeida sequer foram procurados pela indefinição que o clube convive no momento

Além disso, o Tricolor perdeu quatro atletas com contrato. O meia Vitinho, avaliado como ‘bom e barato’, foi para o Santo André. O zagueiro Rodolfo rescindiu na Justiça para acertar com o rival Coritiba. O centroavante Jenison seguiu o mesmo caminho judicial e deve acertar com o Novorizontino. O volante Luiz Otávio, que tinha vínculo até o fim de 2021, foi vendido ao Tombense.

O atual elenco do Paraná conta com apenas 13 jogadores para o início da pré-temporada, mas pode ver esse número diminuir, uma vez que o goleiro Thiago Rodrigues pode ser envolvido em alguma transferência.

Guilherme Santos

Destaque do time em 2019, com sete assistências, líder no quesito, e dois gols, o lateral-esquerdo Guilherme Santos é mais um que não fica no clube. Ele, que fez 45 jogos com a camisa paranista, acertou na última sexta-feira (20) com o Botafogo para a próxima temporada.

O atleta é vinculado ao Tombense, clube que o empresário Eduardo Uram é dono. O investidor é um dos interessados em assumir o departamento de futebol paranista, mas pode ficar apenas como parceiro e emprestar atletas, como fez esse ano.

+ Mais do Tricolor: