O volante Jhonny Lucas segue com seu futuro indefinido dentro do Paraná Clube e ainda que participe das atividades de preparação com o elenco, não deve aparecer tão cedo no time titular. Nas atividades realizadas nesta quarta-feira (26), no Centro de Treinamento do time em Quatro Barras, o jogador estava participando normalmente dos exercícios físicos com seus companheiros de grupo, ainda que dificilmente seja utilizado nos próximos compromissos. Isso porque o técnico Matheus Costa prefere não acionar o atleta devido à indefinição sobre a permanência dele no clube. O treinador quer em seu grupo atletas focados em fazer com que o Tricolor suba à Série A.

Apesar de o presidente Leonardo Oliveira ter afirmado na semana passada, em entrevista à Rádio Banda B, que faltavam pequenos detalhes para que o jogador fosse, enfim, vendido, o atleta segue no Ninho da Gralha. Em 2019, Jhonny entrou em campo apenas em três oportunidades, sendo todas elas como substituto ao longo do segundo tempo. Na Série B do Campeonato Brasileiro, ele atuou apenas nos minutos finais da vitória por 1×0 diante do Operário. Na ocasião, Itaqui estava cumprindo suspensão automática e Fernando Neto encontrava-se no departamento médico. Luan foi escolhido pelo treinador como titular.

+ Leia mais: Futebol feminino vê maior procura em Curitiba por conta da Copa do Mundo

Nesta quinta-feira (27), em entrevista à Rádio Transamérica, Matheus Costa explicou que apesar de saber de todas as qualidades da ’joia paranista’, prefere contar somente com atletas que estejam em ’sintonia’ com a meta do time.

“Desde que cheguei falam: ’o Jhonny vai sair semana que vem, logo vai chegar a proposta’. Como podemos contar com um jogador assim? Como fica a cabeça de um atleta de 19 anos? Há uma diferença entre jogador que está focado em conquistar a vitória no próximo jogo daquele que pode ser vendido a qualquer momento”, explicou o comandante.

+ Confira também: Operário e Londrina possuem ‘amistosos de peso’ antes da volta da Série B

O treinador paranista reforçou que o volante é muito dedicado e mesmo que não esteja atuando com frequência sempre dá seu melhor e não pode ser culpado pelo situação incômoda. “O Jhonny dá 100% nos treinamentos, ele é o que tem menos culpa disso tudo, é um jogador que se dedica muito, mas como fica a nossa cabeça com todo esse contexto que ele pode sair a qualquer momento?”, disse.

Foi com Matheus Costa que Jhonny Lucas fez seu primeiro jogo como profissional em sua carreira, em 2017. Na ocasião, o volante entrou já no final da vitória do Tricolor por 3×0 em cima do Náutico, na Vila Capanema. Porém, agora com a indefinição sobre o futuro do atleta, o treinador não quer inseri-lo no time para depois tenha que perde-lo, em caso de concretização da venda.

+ Preparação: Tricolor estuda o Bragantino pra volta da Série B

“Eu preciso dos atletas pensando em conquistar o acesso, pensando em vencer o próximo jogo e sabendo que até novembro vão estar no clube. Se vier uma situação de que ele não vai ser vendido aí é outra história, aí temos que trazer ele (para os jogos). Eu conversei com ele, falei que ele é importante, mas tem que entender a realidade”, finalizou.