Depois de quase um mês trabalhando no clube, o executivo de futebol Rodrigo Pastana e o técnico Wágner Lopes foram apresentados oficialmente pelo Paraná nesta quarta-feira (4). Ao lado do presidente Leonardo Oliveira, as duas novas principais cabeças do Tricolor chegaram otimistas, apesar de todas as dificuldades que o time paranista atravessa.

“Sabemos que a situação financeira do futebol brasileiro, não só do Paraná, não é saudável. Muitos clubes atravessam problemas financeiros e sabemos que não é fácil, mas estamos conseguindo fazer um bom trabalho. O clube nos dá uma excelente estrutura”, destacou Pastana.

Porém, a forma como as coisas estão andando é que animam a nova diretoria. Até aqui, o clube conta com 19 jogadores que se apresentaram no CT Ninho da Gralha, sendo que quatro deles ainda estão em processo de recuperação e não podem ir ao campo. Além deles, de oito a dez garotos que estão defendendo o Tricolor na Copa São Paulo se juntarão ao time principal assim que a competição acabar.

“Nós planejamos contar com um número reduzido de atletas, porque entendemos que a base tem bons valores e podemos aproveitar de oito a dez jogadores desse time que foi para a Copa São Paulo. Se hoje temos 19 atletas, alguns que ainda podem sair e temos quatro ou cinco atletas para chegar, pretendemos contar com, no máximo, 32 jogadores no elenco para a disputa do Estadual, Copa do Brasil e Primeira Liga”, afirmou o dirigente.

Entre estes quatro ou cinco atletas que estão para chegar, alguns já estão treinando no CT também, casos do meia Alex Santana, que estava no Guarani e vem por empréstimo do Internacional, e o atacante Bruno Cantanhede, que estava no futebol de Israel. Os outros, são mantidos em segredo.

“Alguns jogadores já estão no CT, mas estamos em processo de exames para que eles assinem os contratos”, acrescentou Pastana.

O lateral-esquerdo Rafael Carioca pediu para se apresentar no final de semana, por conta de problemas pessoais e é esperado na próxima sexta-feira (6). No entanto, ele pode não ficar, assim como o volante Anderson Uchoa, que foi procurado pelo Fortaleza, o zagueiro Alisson e o meia Válber, que também foram sondados por outras equipes.

Apesar da possível debandada, a formação do grupo para a temporada 2017, se conta com nomes pouco expressivos, vem agradando, principalmente, quem irá comandar esta nova versão do Paraná.

“Buscamos equilibrar o nosso time em todos os setores para dar espaço para a entrada dos garotos. Todas as posições estão com reforços bem encaminhados, na defesa, quanto no meio e no ataque, tanto em experiência, como em força física”, disse Wagner Lopes.