A novela continua e ganhou mais um capítulo. O volante Jhonny Lucas, 19 anos, está na Itália para realizar exames médicos e se despedir do Paraná Clube. O atleta ficou de fora da eliminação paranista da Taça Dirceu Krüger, na derrota por 1×0 para o Coritiba, no estádio do Pinhão, em São José dos Pinhais, no domingo (31).

A Tribuna do Paraná apurou que o meio-campista recebeu uma proposta na última sexta-feira (29) e viajou no sábado (30) para Milão fazer exames médicos. A oferta agradou o Tricolor, que liberou a viagem, mas não revela qual time e quanto foi oferecido. Em solo italiano, o jogador está com os empresários Federico Pastorello e Umberto Riva, da P&P Sport Management, que buscam fechar o acordo. Seu procurador, Mario Vieira, o Mazola, viajou junto com o atleta.

+ Leia mais: Torcedor infiltrado, provocação e até guindaste. Um Paratiba diferente no Pinhão

Jhonny Lucas treinou normalmente durante a última semana e era opção no banco de reservas do técnico Dado Cavalcanti para o clássico Paratiba. Neste ano, ele tinha feito apenas duas partidas no Campeonato Paranaense, diante de Cianorte e Cascavel CR, nas duas rodadas anteriores a deste final de semana. O atleta chegou a postar no Instagram que estava no hotel Viu Milan, em Milão.

Jhonny Lucas está reunido com empresários em Milão. Foto: Reprodução/Instagram
Jhonny Lucas está reunido com empresários em Milão. Foto: Reprodução/Instagram

O futebol italiano, inclusive, já tinha sido alvo de especulações sobre o seu futuro. No final de 2018, o Paraná chegou a dar a venda, internamente, como certa por 4 milhões de euros, mas que não se concretizou. Depois, o Tricolor encaminhou a sua venda para o Braga, de Portugal, para o meio deste ano.

+Leia também: Saiba como foi a vitória do Coxa no clássico

O presidente Leonardo Oliveira esteve por 20 dias na Europa, entre janeiro e fevereiro, ao lado do ex-gerente de futebol, Marcos Oliveira, e da Gestifute, grupo do renomado empresário Jorge Mendes, para concretizar a operação financeira da negociação. O time português ofereceu 3,5 milhões de euros por 100% dos direitos econômicos, enquanto o Tricolor queria 4 milhões por 100% ou 2 milhões por 50%. Os detalhes não foram revelados, mas Oliveira confirmou que a venda foi concluída a pessoas do clube, apesar de seguir negando publicamente.

A demora, de acordo com a apuração da reportagem, também se deu por conta do jogador Loumn, do Braga, que foi emprestado ao Porto, mas com cláusula de compra obrigatória somente no dia 1º de julho. O dinheiro dessa transação entre os times portugueses estava condicionada à compra direta do atleta paranista nesta janela, o que acabou adiada para o meio do ano.

+ Confira o show de imagens captadas pelas lentes de Albari Rosa

Assim, o clube deixou o acerto com o Braga apalavrado para a próxima janela de transferência nacional, que abre a partir do dia 20 de julho. Enquanto isso, aguardava outras propostas que possam ser mais favoráveis até lá. A princípio, a nova oferta de um time da Itália apareceu no final da semana e a negociação pode ser, finalmente, concretizada.

O acerto com o futebol italiano, se for fechado de fato, será importante para as finanças do clube, que conta com a venda de Jhonny Lucas para ter um alívio financeiro durante 2019. A diretoria confessou que atrasou o salário de fevereiro, pago na semana que antecedeu o Paratiba. A quantia também pode ajudar na melhora do elenco para a Série B, que começa no dia 27 de abril.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!