Duas Champions League, três Liga Europa e uma Olimpíada. O currículo de Renan Bressan, 31 anos, é “pesado”. Pela frente, o novo reforço do Paraná já enfrentou craques como Messi, Neymar, Ibrahimovic, Pogba e Xavi. Agora, o meio-campo espera construir uma nova história em sua carreira.

“É uma nova oportunidade no Brasil. O Paraná é um clube gigante, é do Sul, que fica perto da minha família, e isso pesou também para a minha escolha”, disse o meia, em entrevista exclusiva à Tribuna do Paraná/Gazeta do Povo. Natural de Tubarão, Santa Catarina, Bressan iniciou a sua carreira no time da cidade. Com 15 anos, ele estreou no time profissional e já chamou a atenção de gringos que visitavam o município catarinense.

Na época, um grupo de ucranianos, que havia comprado o União Barbarense-SP, fazia excursões pelo Brasil atrás de jovens atletas. “Eles apareceram em Tubarão a convite de um político que minha família conhecia. Nos amistosos, eles gostaram de mim e quiseram me levar para a Europa. Foi aí que tudo aconteceu”, relembrou o jogador.

Na sequência, Bressan viajou para a cidade de Gomel, na Bielorrússia. Com apenas 19 anos, o meio-campo mal imaginava que ficaria fora do seu país natal por 13 temporadas. Longe do Brasil, ele vestiu as camisas do Gomel e BATE Borisov, da Bielorrússia, Spartak Vladikavkaz, da Rússia, Astana, do Cazaquistão, Rio Ave e GD Chaves, de Portugal, e APOEL, do Chipre.

“O fato mais difícil é que eu saí muito novo e a adaptação foi bem complicada. Ficar longe da família também pesou bastante. Clima, alimentação, língua…foi tudo bem difícil”, destacou o atleta.

No fim, Bressan até se naturalizou bielorrusso, tendo a oportunidade de disputar a Olimpíada de Londres, em 2012. Na ocasião, o meia enfrentou a seleção brasileira de Neymar, Marcelo e Thiago Silva e até marcou o gol na derrota por 3×1. “São fatos marcantes e que a gente leva pra toda a vida”, ressaltou.

Renan Bressan em jogo da Olimpíada de 2012. Foto: Reprodução/Instagram.

Retorno complicado

No ano passado, Renan Bressan acertou a sua volta ao Brasil. O meia fechou com o Cuiabá para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Entretanto, o retorno acabou sendo marcado por um momento turbulento.

“Cheguei em setembro ao clube e precisei de alguns dias para estrear. Antes do jogo contra o Oeste, no último treino, em uma dividida com um companheiro, acabei tendo um estiramento de joelho. Fiquei um mês e meio em tratamento”, lamentou Bressan. A estreia só veio na reta final da Segundona – foram apenas três jogos.

Agora, o meia, que é o mais experiente do elenco do Paraná, não vê a hora de entrar em campo com a camisa vermelha, azul e branca. “A torcida pode esperar um jogador guerreiro, que vai jogar pelo time. Tenho certeza que vamos colocar o Paraná em seu devido lugar na temporada”, finalizou o jogador.

+ Mais do Tricolor:

+ Allan Aal frisa que jogadores do Paraná deixaram grana da Copa do Brasil “de lado”
+ Paraná Clube acerta com seu 16º reforço para a temporada
+ Sete reforços para os investidores do Paraná ficarem de olho