O Paraná encara o Vasco nesta terça-feira (28), às 20h30, em São Januário, naquele que pode ser considerado o principal jogo do Tricolor na Série B do Campeonato Brasileiro, uma vez que o clube carioca é o grande favorito ao título da competição e, consequentemente, ao acesso à elite para 2017. No entanto, este confronto é marcado por muita polêmica e curiosidade.

No total, as duas equipes já se enfrentaram 24 vezes, com oito vitórias para o Paraná, seis empates e dez triunfos vascaínos. O mais importante deles aconteceu em 2000, pelas quartas de final da Copa João Havelange. O Tricolor na época venceu o Módulo Amarelo, equivalente à Série B, e o regulamento colocava os três primeiros colocados deste nível, mais o campeão dos módulos verde e branco (o Malutrom, hoje J. Malucelli) para disputar o título nacional com os doze primeiros colocados do Módulo Azul, a Série A.

Nas oitavas de final o time paranista eliminou o Goiás ao empatar em 1×1 em casa e vencer por 3×0 fora. Nas quartas, cruzou com o Vasco. No primeiro jogo, em São Januário, vitória cruzmaltina por 3×1, com um pênalti polêmico que originou o terceiro gol. Na volta, no Couto Pereira, o Tricolor tinha que vencer por dois gols de diferença para avançar às semifinais. Pressionou o tempo todo e conseguiu marcar com Reinaldo, aos quatro do segundo tempo. Lúcio Flávio depois chegou a acertar a trave em cobranã de falta e Márcio Nobre teve boa chance no final, mas o Vasco segurou o resultado, se classificou e na sequência ficaria com o título em cima do São Caetano.

Eurico invade o campo

Um ano antes, no dia 19 de setembro de 1999, aconteceu o duelo mais polêmico da história entre os clubes. Pelo Brasileirão, as duas equipes jogaram em São Januário e o placar final foi um empate em 1×1, mas em uma partida que não teve seus 90 minutos completados. Aos 42 minutos do segundo tempo, Eurico Miranda, vice-presidente vascaíno na época e atual presidente, invadiu o gramado para pressionar o árbitro Paulo César de Oliveira por conta de três jogadores expulsos (Juninho Pernambucano, Alex Oliveira e Mauro Galvão).

O zagueiro foi o último a ser expulso, no final da partida, quando o Tricolor era melhor e buscava a virada. Assim que o defensor recebeu o vermelho, Eurico simplesmente entrou no gramado, ignorando toda a segurança e foi direto ao árbitro. “O senhor é um irresponsável. Olha o que o senhor está fazendo. O estádio está cheio, olhe em seu redor o que está acontecendo… o senhor é um irresponsável”, disparou Eurico.

Diante de toda a confusão, com os paranistas cobrando uma atitude, e os vascaínos apoiando o dirigente e pressionando, Paulo César simplesmente optou por encerrar o jogo, ainda restando três minutos do tempo regulamentar, além dos acréscimos, alegando falta de segurança. O clube paranista tentou conquistar os pontos do confronto, mas o 1×1 foi considerado o placar final.

Vaga na Libertadores

No Brasileirão de 2006, o Paraná conseguiu a sua melhor campanha na competição. Terminou em quinto lugar e conquistou o direito de disputar a Libertadores no ano seguinte. A vaga, no entanto, foi disputada ponto a ponto com o Vasco. O Tricolor terminou com 60, e o time carioca foi o sexto, com 59. Equilíbrio também no confronto entre eles.

Paraná x Vasco
Em 2006, Paraná e Vasco brigaram ponto a ponto pela vaga na Libertadores. Melhor para o Tricolor. Foto: Arquivo

No primeiro turno, no Pinheirão, o Paraná venceu por 2×1, gols de Sandro e Maicosuel, para o Tricolor, e de Madson para os cariocas. No segundo turno, em São Januário, 3×1 para os donos da casa. Fábio Braz, Andrade e Pierre, contra, fizeram para o cruzmaltino, enquanto Cristiano fe,z para a equipe paranista.

Na última rodada, o Paraná empatou em 0x0 com o já campeão brasileiro São Paulo, na Vila Capanema, e garantiu a vaga na Libertadores graças ao mesmo placar de Figueirense e Vasco, no Orlando Scarpelli.

Rebaixamento decretado

No ano seguinte, o Paraná viveu nas mãos do Vasco um dos piores momentos da sua história. Pelo Brasileirão de 2007, o Tricolor chegou à última rodada precisando vencer e torcer por resultados para não ser rebaixado, mas perdeu para o Vasco por 3×0 em São Januário e acabou caindo, embora o Goiás tenha ganho do Inter, o que rebaixaria o time paranista da mesma forma.

Em 2009, eles mais uma vez se cruzaram, mas desta vez pela Série B. Foi uma vitória para cada lado, mas o Paraná foi um dos que conseguiu derrubar o time carioca, que perdeu apenas seis vezes na competição, por 3×1, na Vila Capanema.