Um dos salários mais altos do elenco, o atacante Robert, 35 anos, rescindiu o contrato com o Paraná em comum acordo. Contratado para ser a referência do ataque paranista na Série B, o jogador acumulou a marca negativa de dez jogos e nenhum gol pelo clube na competição.

O veterano chegou à Vila Capanema, em maio, confiante. “Quero marcar pelo menos vinte gols neste Brasileiro”, prometeu em entrevista ao site oficial. “Hoje no Brasil os principais artilheiros são jogadores mais velhos, como o Ricardo Oliveira do Santos. Temos carência de atacantes. Vou ajudar muito o Paraná”, reforçou, em entrevista à Rádio Transamérica.

O retrospecto do atleta nos dois últimos anos endossava o discurso de artilheiro. Em 2015, Robert anotou 21 gols em 23 partidas com a camisa do Sampaio Corrêa, entre Estadual e Série B. Um ano antes, em 2014, havia feito 30 gols com a camisa do Fortaleza, se tornando um dos principais artilheiros do Brasil na temporada. Já no Vitória, clube em que estava antes do Tricolor, o rendimento caiu. Tanto que pouco entrava em campo no clube baiano.

Robert confiava em reeditar a parceria com os meias Válber e Nadson, com quem jogou no Sampaio, para voltar aos gols, o que, até o momento, acabou não acontecendo. Na mais recente partida do Tricolor na Série B, empate sem gols com o Paysandu dentro de casa, na última terça-feira (12), o jogador ainda perdeu um gol no último minuto de jogo.

Após cruzamento na área, Robert, livre de marcação, furou a bola, para a ira dos torcedores paranistas. Caso a diretoria confirme a saída de Robert, o Tricolor contará no elenco com os atacantes Robson, Henrique e Lúcio Flávio, além dos garotos Yan Phillipe e Guga.

O Paraná volta a campo na próxima sexta-feira (22), contra o Criciúma, fora de casa. Para a partida, o técnico Marcelo Martelotte não contará com Lúcio Flávio, suspenso.