Impedido de ficar no banco de reservas na derrota sofrida para o Vitória por 1×0, na última quarta-feira, em Salvador, o técnico Rogério Micale não escondeu sua insatisfação com a produção do Paraná Clube na partida realizada no Barradão. O treinador, visivelmente irritado, criticou a atuação do time paranista, mas minimizou os efeitos que o revés pode causar na luta do Tricolor para escapar do rebaixamento à segunda divisão, especialmente para o duelo direto de domingo (22), diante do América-MG, às 16h, na Vila Capanema.

“Peço desculpas ao nosso torcedor. Realmente fizemos um jogo muito abaixo. Depois do retorno a expectativa era imensa. Nosso primeiro tempo foi muito abaixo. Foi assim, lamentável. Nos segundo tempo melhoramos. O Vitória teve três chances e fez uma. Nós tivemos três e não fizemos. Foi um jogo equilibrado, parelho e até muito feio. Lamentamos, mas é trabalhar para o jogo em casa. Precisamos da vitória. Temos que nos doar mais para que consiga a vitória e volte a respirar para sair da zona de rebaixamento”, apontou o treinador.

Claro que o Paraná viajou à Salvador para conseguir um bom resultado diante do Vitória. Veio a derrota, a atuação ruim, mas o técnico Rogério Micale minimizou o revés e acredita que, sobretudo dentro de casa, o time paranista terá que fazer seu dever e conseguir passar por seus concorrentes diretos. Para ele, o Tricolor tem a obrigação de vencer o América-MG, na Vila Capanema.

“Fomos jogar contra um concorrente direto e seria importante não perder pontos. Temos o retorno, o jogo em casa para fazer a diferença, assim como ganhamos de Bahia e Fluminense. Diante do Vitória, não é um desastre a derrota lá, pois eles também estão brigando e querem sair dessa situação. Agora, quando vier aqui (2° turno) a obrigação é ganhar, porque se não complica e dificulta nossa situação. Então, não é desesperador a derrota, desde que no retorno a gente ganhe. Contra o América-MG tem que ganhar. É duro falar, se expor, mas essa é a verdade. Trato tudo com sinceridade, principalmente ao nosso torcedor”, cravou Micale.

O comandante paranista, diante de mais uma partida ruim em termos ofensivos do Paraná diante do Vitória, garantiu que a cobrança é diária e intensa. Não à toa, o Tricolor, com sete gols em 13 jogos, tem o pior ataque do Brasileirão. Fator preponderante que precisa ser melhorado para o embate diante do Coelho.

Confira a tabela e a classificação do Brasileirão!

“A cobrança ela há. Estamos disputando a Série A e todo jogo é muito difícil. Contra o Vitória, fomos inoperantes no primeiro tempo. É inadmissível. Não dá para conceber uma situação dessas. O emocional do nosso time tem pesado muito. A gente tenta trabalhar, conversa com os atletas para ter tranquilidade. Tem que saber lidar. Treinamos muito a finalização. Semanalmente. Treinos de véspera são voltados à finalização. Mas tomada de decisão e fator emocional não é com a gente. O que compete à comissão técnica, em termos de treinamento, está sendo dado. Temos passado tranquilidade e esperamos que realmente as bolas possam entrar, já que isso tem feito a diferença”, concluiu o treinador paranista.