Em seus 42 anos de história como técnico e dirigente de futebol, Rubens Minelli sempre foi bem quisto por onde passou e soube como motivar os grupos que comandou. “Eu sempre lembrei aos jogadores que eles tinham obrigação em fazer jus ao salário que ganhavam. Exigia que tivessem comportamento profissional, e, assim, eu sempre buscava que a equipe jogasse motivada”, explicou o treinador aposentado, que hoje vive em São Paulo e se divide entre a capital paulista e Valinhos, no interior, onde possui uma chácara.

+ Leia também: Tricolor comemora aniversário no mesmo dia do primeiro professor

Minelli também teve passagem nos outros clubes da capital paranaense. Ao final do Paranaense de 1997, depois de confirmar o pentacampeonato do Paraná Clube, foi para o Alto da Glória para comandar o Coritiba. No Athlético, atuou como dirigente, em 1998.

“Quando eu trabalho num clube, sempre procuro dar o máximo. Fui muito feliz no Paraná, porque atingi 90% dos objetivos. Não tenho como citar um único momento especial no clube, pois todos foram. Tudo que construí foi difícil e requeria muito trabalho. Me considero privilegiado”, destacou ele, lembrando das alegrias vividas nos redutos paranistas, como o estádio Érton Coelho Queiroz – a Vila Olímpica -, palco da conquista do penta estadual. “O futebol maravilhoso contribuiu, além do que sempre contei com um excelente clima de trabalho e ambiente familiar. Fiz muitas amizades no Paraná, éramos uma família”, enfatizou.

+ Mais na Tribuna: Situação de ‘joia’ do Paraná deve ser definida esta semana

E uma dessas amizades, reforçada com o convívio no clube, foi justamente com Carlinhos Neves, que via em Minelli um modelo a ser seguido. Os dois trabalharam em outros clubes juntos, mas o grande sucesso foi, de fato, no Tricolor

“Tenho no senhor Rubens minha base como profissional. Sempre foi muito preparado, inteligente, culto, um exemplo de ética e conduta. Era um visionário, muito do que se prega hoje já se praticava no time dele. Não foi à toa que conseguiu tantos títulos”, detalhou Carlinhos, revelando uma característica marcante do ex-comandante.

+ Vai e vem: Confira TODAS as notícias sobre o mercado da bola!

“É um cara extremamente bem humorado e contador de piadas. Tenho orgulho de ser amigo dele. Conversamos sempre por telefone, foi um prazer ter convivido com ele. Já é uma tradição. A primeira coisa que faço no dia 19 de dezembro é ligar para o senhor Rubens”, revelou o preparador físico.
Minelli é grato por sua vivência no Tricolor e, mesmo acompanhando de longe, espera por dias melhores ao time.

Recentemente, o ex-treinador foi homenageado no Palmeiras, onde teve passagens marcantes, fez história nos rivais gaúchos Internacional e Grêmio e também iniciou a trajetória nacional de títulos do São Paulo, mas o carinho mesmo é o Paraná Clube, o ‘parceiro’ de aniversário neste 19 de dezembro.

“Quero saudar o Paraná Clube. Torço para que os torcedores voltem a ter momentos felizes e que os atletas joguem futebol suficiente para o time retornar à elite do futebol. Que todas as pessoas envolvidas com o Tricolor honrem o que fazem”, finalizou o comandante, desejando vida longa ao outro aniversariante do dia.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!