Autor do gol da vitória do Paraná sobre o Internacional, na última terça-feira (3), na Arena da Baixada, o zagueiro Maidana tem despertado o interesse de outros clubes. Emprestado pelo São Paulo, o defensor de quase 2 metros de altura pode ter seu retorno requisitado pelo tricolor paulista. Pelo menos é essa a informação que está sendo especulada na imprensa de São Paulo.

Sem espaço no time do Morumbi, Maidana foi emprestado ao Paraná para ganhar mais experiência. Não demorou e o zagueiro ganhou a vaga de Rayan e tem formado uma dupla quase infalível ao lado de Brock. Não a toa, o Tricolor sustenta o posto de melhor defesa da Série B do Campeonato Brasileiro com apenas 20 gols sofridos em 28 rodadas.

Segundo informações da imprensa paulista, a diretoria do São Paulo deve se reunir com o técnico Dorival Júnior nos próximos dias para discutir a situação do zagueiro. O Paraná, independentemente da situação da próxima temporada, se disputará a Série A ou a Série B do Brasileirão, já manifestou o interesse em renovar o empréstimo que se encerra ao final deste ano.

No São Paulo, Maidana foi pivô de uma crise política que culminou com a saída do então presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, em 2015. Quando o defensor foi emprestado ao Criciúma, foi confirmada irregularidades na transação por conta de participação irregular de investidores. Alguns áudios vazaram e o conselho do clube decidiu afastar o então mandatário do tricolor paulista.

Além da eficiência defensiva, Maidana tem se destacado também como peça importante nas bolas paradas ofensivas do Paraná. O gol anotado diante do Inter foi o quarto com a camisa paranista na segunda divisão. O zagueiro foi elogiado pelo goleiro Richard após o duelo contra o colorado.

Confira a classificação da Segundona!

“Maidana é um baita jogador. Não só ele, mas o Brock, o Rayan, o Wallace. Todos os zagueiros são muito bons. Nosso sistema defensivo é muito bom, desde lá na frente até chegar a mim. Nossa força não é individual. Não é toda partida que nós vamos ter um atleta bem. O pensamento é do conjunto forte”, concluiu Richard.