O técnico Allan Aal está empolgado com o confronto do Paraná contra o Botafogo, na próxima terça-feira (10), no Nilton Santos, pela terceira fase da Copa do Brasil. Para o treinador, enfrentar um adversário de peso faz com que o Tricolor entre mais ligado para buscar a classificação.

“É jogo grande, bom de jogar. Vai ser um ambiente diferente e ao mesmo tempo hostil. Conhecemos lá e sabemos que a torcida do Botafogo vai apoiar, mas serve de motivação e entusiasmo para nós”, avisa Aal.

O Botafogo pode ter a estreia do meia-atacante japonês Honda. Ele chegou badalado ao Rio de Janeiro, mas não treinou por conta de uma febre. Já foi descartado que o atleta esteja infectado pelo coronavírus. Se Honda jogar, Allan Aal acredita que o Paraná pode tirar proveito.

“De repente pode se pensar que é festa e vamos participar, mas não é assim. Temos responsabilidades, objetivos e metas e, com todo respeito à estreia do Honda, temos que nos preocupar com todo o time deles”, analisa o técnico.

“Temos que ser inteligentes e pensar que são 180 minutos. Vamos enfrentar uma equipe que vai buscar o gol. Vamos procurar uma estratégia ideal para a primeira partida sabendo que a segunda é em casa”, complementa.

Se o Tricolor se classificar embolsa R$ 2 milhões como premiação. O segundo jogo está marcado para a próxima semana, quarta-feira (18), às 19h15. Existe a chance da partida ser levada pelo empresário Naor Malaquias ao Couto Pereira.

Na coletiva de Aal, enquanto o técnico era questionado sobre a possibilidade do confronto da volta ser realizado em outro estádio, o presidente do Paraná, Leonardo Oliveira, gesticulava afirmando que a partida acontecerá na Vila Capanema.

Aal garantiu que, independentemente do local, acredita no apoio da torcida. “Tenho certeza que aonde formos o torcedor irá lotar e incentivar”, finalizou.

+ Mais do Tricolor

+ Atacante do Paraná leva dura do técnico após provocar a torcida
+ Empresário quer levar Paraná x Botafogo para o Couto Pereira
+ Veja os gols de Paraná 2 x 0 União