Um torcedor do Atlético-GO foi detido na noite de sexta-feira (15), após ter atitudes racistas contra o zagueiro Eduardo Bauermann, do Paraná Clube, que perdeu por 1×0 para o Dragão, no estádio Antônio Accioly. Ao longo da partida, Eduardo Torres Byk xingou o atleta, além de ter imitado um macaco depois de o time da casa perder um pênalti, quando o placar ainda estava em 0x0.

Após o confronto, o jogador acionou os policiais militares no local, que fizeram a prisão de Byk em flagrante. Ele foi autuado por injúria racial e, se condenado, pode pegar até três anos de prisão. Bauermann e alguns companheiros do Paraná, como testemunhas, deram seus depoimentos na Central de Flagrantes. O torcedor acusado ficou em silêncio.

Membro da torcida organizada Dragões Atleticanos, o torcedor foi expulso do quadro de sócios pela atitude tomada no estádio. “A Torcida Dragões Atleticanos vem por meio desta informar que não compactuamos com o ato de injúria racial cometido por nosso integrante ontem, na partida entre Atlético-GO e Paraná. Atitude deprimente e inaceitável, viemos por meio desta informar também a expulsão de Eduardo Torres Byr, sócio número 362, de todas as atividades relacionadas à nossa torcida”.

O Atlético-GO também se manifestou e repudiou o fato ocorrido e lembrou do período em que Eduardo Bauermann defendeu o Dragão, em 2017. Além disso, ressaltou que pretende criar uma punição para atos como esse em seu estádio.

Bauermann pode ter o mesmo destino do volante Jhonny Lucas, mas Paraná ainda não aceitou a oferta. Foto: Geraldo Bubniak/Paraná Clube
Bauermann comunicou a polícia ainda no estádio e por isso a prisão foi feita em flagrante. Foto: Geraldo Bubniak/Paraná Clube

“O Atlético Clube Goianiense repudia casos de racismo em qualquer esfera, principalmente no futebol, que é o campo onde o clube está diretamente envolvido. O atleta Eduardo Bauermman foi jogador do Atlético em 2017 e honrou a camisa do clube. Esperamos que o caso seja investigado e o criminoso responsabilizado pelo acontecimento. Durante a semana o clube irá estudar formas de punir qualquer pessoa que pratique atos de racismo e/ou homofobia dentro das dependências do Estádio Antônio Accioly. O Atlético se reconhece como clube de TODAS as famílias”, diz a nota.

+ Mais do Tricolor:

+ Jogadores voltam a falar e se dividem entre acreditar no acesso e jogar a toalha