O Paraná Clube perdeu seu aproveitamento de 100% na Vila Capanema justamente quando não poderia. Dependendo de uma vitória para se classificar, o time paranista não repetiu as boas atuações recentes, empatou em 0x0 diante do Figueirense e depende agora do complemento da primeira fase para saber se avançará para a próxima etapa da Primeira Liga. Para conseguir a vaga, o Tricolor terá que torcer para o Figueirense não vencer o Avaí, que já está eliminado, por três gols de diferença, no dia 22, na Ressacada, em Florianópolis.

Pressionado e com a obrigação de vencer para não depender de outros resultados, o Paraná começou melhor o jogo. Mas a equipe de Wagner Lopes teve muitos problemas no seu meio de campo, sobretudo na transição e na construção das jogadas. Assim, o Figueirense, eficiente na marcação, conseguiu facilmente controlar as investidas do Tricolor.

A equipe catarinense, então, mais organizada, passou a dominar a partida e criou boas chances de abrir o placar. Dirceu de cabeça e Yago, de fora da área, por pouco não marcaram para os visitantes. O Paraná, sem reação, apenas assistia o adversário jogar. Aos 29, o ex-paranista Hélder, de fora da área, quase surpreendeu o goleiro Léo.

Apesar da boa fase no Paranaense, a torcida do Paraná, impaciente, cobrava mais atitude da equipe em campo. Mas foi o Figueirense que chegou de novo com perigo. Aos 37, depois de tabelar com Yago, Dudu chutou no canto e Léo salvou. Na melhor chance do Tricolor, Leandro Vilela, de longe, arriscou, mas jogou longe a única oportunidade do time paranista na etapa inicial.

O Paraná voltou mais aceso do intervalo. A apatia parece ter ficado no vestiário e, com mais mobilidade ofensiva, o Tricolor quase marcou aos 7 minutos, mas Renatinho errou o alvo depois do cruzamento de Diego Tavares. O Figueirense, mais organizado e mais perigoso, quase abriu o placar quatro minutos depois. A defesa paranista parou e Bill, na cara do gol, chutou fraco e facilitou a defesa do goleiro Léo.

O Tricolor voltou a cair de produção e deu campo para o Figueirense. O time catarinense, então, voltou a ter o controle da partida. A meta do goleiro Léo voltou a ficar ameaçada e, aos 24 minutos, depois da jogada bem trabalhada na área paranista, Bill ajeitou de calcanhar e Helder perdeu grande chance de fazer o primeiro dos visitantes.

Na reta final do jogo, o Paraná abandonou um pouco a postura defensiva, mas nem mesmo a entrada do meia Alex Santana na vaga de Leandro Vilela fez o Tricolor criar perigo ao gol do goleiro e ex-paranista Thiago Rodrigues. Prevaleceu, então, a boa postura defensiva do Figueira e ao Paraná resta aguardar o clássico catarinense e focar no Paranaense. Domingo, o adversário é o Rio Branco, às 16h, novamente na Vila Capanema.