Se muitas das atitudes da diretoria do Paraná Clube são questionáveis, não se pode negar o esforço de torcedores para dar mais dignidade ao clube, mesmo em dificuldades financeiras e ainda com risco de rebaixamento para a terceira divisão do Campeonato Brasileiro. O maior exemplo é a Associação dos Patronos e Amigos da Gralha Azul (Apaga), que há mais de dois anos foi criara para arrecadar fundos e direcioná-los ao Tricolor, sem qualquer custo de intermediação.

A nova iniciativa da associação é ajudar a diretoria a viabilizar a compra de um contâiner, que vai virar um almoxarifado na Vila Capanema. Isto porque alguns equipamentos do estádio paranista não têm mais condições de uso, por conta da ação do tempo. E a Apaga sugeriu à direção que esse contâiner guardasse justamente esse material, para que não ficassem abandonados.

A sugestão do grupo de torcedores foi bem recebida pela diretoria. Mas não ficará apenas com a Apaga o custo do negócio. A divisão do valor da compra – não divulgado – será em três partes: Paraná, Apaga e um patrocinador ainda não revelado, que será o responsável pela manutenção do contêiner. “A nossa parte do investimento já estava arrecadada, de gente que contribui mensalmente com a Associação”, explicou o presidente da Apaga, Fernando Geraldi.

Histórico

A Associação dos Patronos e Amigos da Gralha Azul foi lançada em setembro de 2014, como uma associação sem fins lucrativos. De acordo com o estatuto da associação, os torcedores podem contribuir de forma pontual ou através de mensalidades a partir de R$ 20. Entretanto, todos os membros do Conselho Deliberativo do Tricolor são obrigados a contribuir com uma taxa mínima de R$ 50 mensais para a Apaga.

Em janeiro de 2015, o grupo rachou com o clube o valor da obra do túnel inflável dos vestiários da Vila Capanema. No mês seguinte, a Apaga arrecadou doações para pagar salários atrasados de jogadores e funcionários. Diante da crise financeira do Tricolor, em maio de 2015 foi feito outro aporte para o pagamento de salários. Já em fevereiro de 2016, a associação bancaram a reforma de placas publicitárias do Durival Britto.