Sem tempo para lamentar a derrota sofrida para o Avaí, na noite do último sábado (5), na Ressacada, em Florianópolis, o Paraná Clube, mais próximo da zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro, terá que pontuar diante do Paysandu, nesta terça-feira, em Belém, se quiser ter uma reta final da Segundona tranquila. O time comandado pelo técnico Roberto Fernandes, em caso de um revés no Norte do país, pode terminar a rodada somente três pontos a frente da área de risco da competição nacional.

Em um cenário desfavorável ao Tricolor, em caso de derrota para o Paysandu, o time paranista terminará com três pontos de vantagem para a zona de rebaixamento caso o Joinville, que tem 33 pontos, vença seu compromisso em casa contra o Bragantino, que vem logo atrás na classificação com 31 pontos.

Além deste compromisso entre JEC e Bragantino, o Oeste tem a chance de afastar da zona de rebaixamento no duelo contra o Avaí, dentro de casa. O time de Itápolis tem 36 pontos e pode igualar em pontos com o Tricolor. Outro time que está brigando contra o rebaixamento, mas com sua situação cada vez mais difícil, é o Tupi, que joga dentro de casa diante do CRB. A equipe mineira tem 31 pontos e pode chegar aos 34 pontos em caso de vitória, mantendo as chances de escapar da degola.

Por outro lado, se conseguir a vitória diante do Paysandu e houver um empate entre Joinville e Bragantino, o Paraná terá três jogos para fazer pelo menos dois pontos para assegurar sua permanência na segunda divisão. Vencer o Papão pode também acabar com o jejum de vitórias longe de Curitiba. A última vez que isso aconteceu foi no dia 2 de julho, diante do Bragantino, em São Paulo.

O Paraná Clube, que não consegue vencer fora de casa, apesar de ter poucas chances de ser rebaixado à Série C do Brasileirão de 2017, viu seu percentual aumentar para 2% segundo o site Infobola, do matemático Tristão Garcia. Depois de enfrentar o Paysandu, o Tricolor ainda terá Criciúma e Tupi, na Vila Capanema, e o Ceará, em Fortaleza.