Ediglei Feitosa/Diário do Noroeste
Em partida de cinco gols, o ACP bateu o Coxa, por 3 a 2, e agora joga por um empate para avançar à final do Paranaense.

O Paranavaí fez a lição de casa e inverteu a vantagem sobre o Coritiba no primeiro confronto entre as equipes pelas semifinais do Campeonato Paranaense. Jogando melhor a maior parte do tempo e aproveitando o fator campo, o Vermelhinho fez 3 a 2 sobre o Alviverde. Com o resultado, o time do Fim da Linha encara o Coxa no jogo de volta podendo até empatar para passar para a final da competição.

A derrota acabou com uma invencibilidade de 15 jogos do clube do Alto da Glória. A partida decisiva está programada para domingo que vem, às 16h, no Couto Pereira.

Após a boa vitória no clássico contra o Paraná Clube, que valeu a condição de melhor equipe e a vantagem de jogar por dois empates na semifinal, o Coritiba pisou no gramado do Felipão novamente desfigurado.

Com dez jogadores no estaleiro, cinco deles titulares, o time do técnico Guilherme Macuglia ainda perdeu o atacante Ânderson Gomes de última hora. Mesmo assim, o Alviverde conseguiu encarar os comandados de Amauri Knevitz e sair na frente no placar. Jogando no 4-4-2, mesmo depois de aventar a possibilidade do 3-5-2, o Coxa parecia não sentir os desfalques.

Com a espinha dorsal da equipe mantida, as jogadas saíram e Eanes abriu o placar após bom lançamento pela direita, que ele aproveitou entrando na área e chutando colocado. No entanto, algumas falhas individuais começaram a comprometer o resultado.

A primeira delas quando Artur rebateu uma bola para o alto e deixou Ednílson à vontade para empatar. De qualquer forma, o Coxa foi para o intervalo vencendo, após Adriano deixar Keirrison na cara de Vanderlei para fuzilar.

No entanto, o ímpeto do Vermelhinho se manteve e logo Tales fez uma cobrança de falta primorosa da esquerda e mandou no ângulo. A resposta veio com Túlio e Daniel Cruz, que mandaram bolas no travessão. Mas, em mais uma falha do sistema defensivo alviverde, Agnaldo foi lançado e entrou como quis na área para chutar forte, sem chances para o arqueiro coxa. Daí em diante, o jogo esquentou, o Paranavaí tratou de segurar o jogo e o Coritiba não teve forças para somar mais uma partida de invencibilidade. No último minuto, Túlio perdeu a cabeça, deu um pontapé em Tiago e foi justamente expulso.

Macuglia diz que ordem é fazer a lição de casa

Falhas individuais, ansiedade e falta de atenção. Para o técnico Guilherme Macuglia, esses foram os problemas que determinaram a derrota do Coritiba para o Paranavaí por

3 a 2. ?Tínhamos dificuldades na marcação, depois nós melhoramos, conseguimos o domínio do jogo, mas infelizmente tomamos o gol de bola parada. Depois, retomamos o domínio e tomamos o gol daquela maneira (falta de cobertura), onde não poderíamos?, explicou o treinador alviverde. Mesmo assim, para ele se passaram apenas 90 de um ?jogo? que vai ter 180 minutos.

?Não gostaríamos de sair com a derrota, aconteceu, mas temos que pensar na Copa do Brasil na quinta-feira e reverter esse placar em casa e, com certeza, nós temos essa possibilidade?, projetou. No entanto, além dos desfalques por lesão, que lotam o departamento médico com 11 jogadores, Macuglia deve dar uma atenção a alguns jogadores, como o goleiro Artur, que tem tido algumas falhas. ?Ele é um jogador que fez uma brilhante Série B e, infelizmente, está acontecendo isso com ele, mas é um jogador de confiança e temos que passar tranqüilidade para ele?, apontou.

Mas, não foi só o arqueiro que facilitou as coisas para o Paranavaí. De acordo com o meia Pedro Ken, o time inteiro falhou. ?Voltamos para o segundo tempo com a vitória na mão e era só manter o que a gente vinha fazendo. Não temos que arranjar culpados, temos que voltar para Curitiba e buscar essa classificação?, analisou o jogador. Já o volante Juninho pediu mais respeito ao Coritiba após as confusões proporcionadas ao fim da partida com invasão de torcedores e tudo o mais. ?Essa atitude deles vai nos fortalecer ainda mais para entramos com mais motivação ainda?, finalizou.

Reapresentação

Hoje à tarde, os jogadores que participaram dos 90 minutos fazem um trabalho regenerativo enquanto os demais trabalham física e tecnicamente.

CAMPEONATO PARANAENSE
Semfinal – Jogo de ida
Local: Waldemiro Wagner (Paranavaí)
Árbitro: Antônio Denival de Moraes
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Pedro Martinelli
Gol: Eanes aos 14, Ednílson aos 26 e Keirrison aos 40 do 1.º tempo; Tales aos 4 e Agnaldo aos 32 do 2.º tempo
Cartão amarelo: Juninho, Henrique, Vágner Andrade, Gilberto Flores, Diego Corrêa
Expulsão: Túlio aos 50 do 2.º
Renda: não divulgada
Público: não divulgado

Paranavaí 3 x 2 Coritiba

Paranavaí
Vanderlei; Rodrigo De Lazzari, Diego Corrêa e Vágner Andrade; Gilberto Flores (Adriano, 26 do 2.º)), Márcio, Agnaldo, Tales (Rafael Pulga, 35 do 2.º)) e Roque; Tiago e Ednílson (Léo Santos, 15 do 2.º). Técnico: Amauri Knevitz

Coritiba
Artur; China (Daniel Cruz, 1 do 2.º), Henrique, Douglão e Douglas Silva; Adriano (Luizão, 16 do 2.º), Juninho, Túlio e Pedro Ken; Eanes (Ígor. 44 do 2.º) e Keirrison. Técnico: Guilherme Macuglia

Coxa perdoa e recupera o ?fujão? Henrique

O Coritiba anunciou ontem a contratação do atacante Henrique, que estava atuando pelo rival Paraná Clube. Depois do fim do contrato do jogador com o clube da Vila Capanema, o Alviverde entrou no circuito e fechou com o jogador de 23 anos. O curioso é que o mesmo atleta foi formado nas categorias de base do CT da Graciosa, ?fugiu? para a Coréia do Sul e reapareceu no Joinville antes de assinar com o Tricolor. Agora, ?perdoado? pela diretoria do Coxa, volta e já deve fazer a estréia na partida de quinta-feira contra o Botafogo pela Copa do Brasil.

?Ele se apresenta amanhã (hoje) e já tem contrato assinado conosco até o final do ano?, revelou João Carlos Vialle, coordenador de futebol do Coritiba. De acordo com o dirigente, o interesse surgiu depois que o Paraná descartou a renovação de contrato com seu centroavante titular. Nos bastidores, a informação era que Henrique queria pular de R$ 10 mil para R$ 30 mil mensais e o time da Vila teria oferecido ?apenas? R$ 15 mil, valor que o atacante não teria aceitado. Livre para negociar, rumou para o Alto da Glória.

?Como ele era do Coritiba e foi tirado da gente, nós o estamos recuperando.

É um atleta da base, que tem ambiente, mora em Curitiba, é bom jogador, fizemos o contato com o empresário e conseguimos fechar essa contratação?, justificou Vialle. Para o coordenador de futebol, a fuga do CT da Graciosa foi um erro do atacante, perdoado pela diretoria. ?É um jogador interessante, foi oferecido ao Coritiba, todos esses fatos foram analisados e resolvemos perdoar o que aconteceu no passado?, explicou.

Saída

O goleiro Rodrigo Café voltou a ressaltar que as declarações do meia Renan não influenciaram em seu corte na delegação do Coritiba que viajou para Paranavaí. Segundo ele, houve uma negociação para aumento salarial com a diretoria, que não aceitou pagar mais ao jogador. Por isso, o empresário do goleiro está acertando a rescisão contratual para que ele possa atuar em outro clube, provavelmente o Bahia, na disputa da Série C.