Rio – A seleção brasileira chegará à disputa da Copa da Alemanha com uma renovação de 50% em comparação ao grupo que disputou o Mundial da Coréia e Japão. Na lista dos 23 convocados que será divulgada hoje, às 11h30, no Rio, figurarão pelo menos 11 nomes que não participaram da competição em 2002.

Para chegar ao grupo que vai para a Alemanha, Parreira começou timidamente a renovação ao reassumir o comando da seleção, em janeiro de 2003.

O técnico da seleção experimentou mais de 80 jogadores e em determinados momentos, demonstrou irritação por se sentir pressionado a realizar um excessivo número de testes. Um exemplo foi ao convocar para seu primeiro amistoso, contra a China, em fevereiro de 2003. Na ocasião, as principais cobranças foram por nomes do Santos, campeão brasileiro em 2002: o meia Diego, o atacante Robinho, o lateral Léo, além dos meias Elano e Renato.

Parreira não chamou nenhum deles, mas relacionou oito atletas que não estiveram na Ásia: o goleiro Júlio César, os zagueiros Luisão e Juan, os atacantes Adriano e Amoroso, além dos meias Flávio Conceição, Zé Roberto e Juninho Pernambucano.

Ao longo do tempo, vários favoritos a um lugar cativo na seleção ficaram pelo caminho. O grupo de ex-santistas ganhou sua oportunidade, mas somente Robinho conseguiu se firmar.

Experientes também foram desprezados pelo treinador durante a renovação da equipe. Dentre os principais estão os pentacampeões Rivaldo, Denílson e Juninho Paulista.

?Vai ser a convocação mais sem-graça de todas as copas, porque todo mundo já sabe quais serão os chamados?, destacou o técnico da seleção, na semana passada, refutando a possibilidade de um ?esquecido? voltar a ser lembrado e constar da lista final à Copa do Mundo.

Na relação de hoje, o goleiro Júlio César, o lateral Cicinho, o zagueiro Juan, os atacantes Adriano e Robinho e os meias Emerson, Zé Roberto e Juninho Pernambucano são os debutantes com vaga assegurada. A eles se juntarão o atacante Fred ou Ricardo Oliveira, o lateral Gustavo Nery ou Gilberto, além de um ou dois zagueiros (Cris e Luisão). Há expectativa também para a convocação de mais um meia, Júlio Baptista, caso Parreira opte por levar apenas três zagueiros.

Dos pentacampeões de 2002 confirmados na Copa da Alemanha estão o goleiro Dida, os laterais Cafu e Roberto Carlos, o zagueiro Lúcio, os meias Edmílson, Gilberto Silva, Ricardinho Kaká e Ronaldinho Gaúcho, além do atacante Ronaldo. Esta equipe ainda vai ser formada por mais um goleiro, Marcos ou Rogério Ceni. E Roque Júnior tem chance de figurar na zaga.

Apesar de renovar 50% da equipe, Parreira considerou que a seleção ficou com a média etária, entre 28 a 30 anos, ideal para a disputa da Copa do Mundo. De acordo com o treinador, o Brasil conseguiu o objetivo de mesclar juventude e experiência na intensidade ideal para ser campeão mais uma vez.

Ronaldinho Gaúcho será blindado

São Paulo – A preocupação da comissão técnica da seleção brasileira não passa pela lista dos 23 convocados. Nem mesmo por uma eventual polêmica sobre os critérios da convocação. Quem chama atenção de Parreira e seus assessores é Ronaldinho Gaúcho. A ordem na comissão, a partir da próxima segunda-feira em Weggis, Suíça, é proteger o diamante do Brasil.

Parreira teme pelo inevitável desgaste físico de Ronaldinho Gaúcho, que, ao lado de Edmílson, jogará quarta-feira a decisão da Liga dos Campeões da Europa contra o Arsenal, em Paris. Será o último jogo dele antes de apresentar-se à seleção brasileira.

Foco de todas as atenções durante toda a temporada, o craque do Barcelona sofre um intenso desgaste físico e pressão emocional. Na condição de melhor jogador do mundo, eleito duas vezes consecutivas pela Fifa, Ronaldinho será o alvo da Copa.

?O Ronaldinho é a bola da vez. Como já foram Platini, Zidane, Ronaldo, Romário, Maradona, Pelé em outros mundiais. E felizmente para nós, a seleção brasileira não tem só o Ronaldinho. Ele está exuberante, vive momentos mágicos. Esperamos que possa compartilhar isso com Adriano, com Robinho, com Kaká, com Ronaldo?, contou Parreira.

Esta será a estratégia especial de Parreira: tirar das costas de Ronaldinho Gaúcho o peso de carregar sozinho a seleção.

O treinador quer dividir as responsabilidades entre os jogadores consagrados. Ronaldo é um deles.

A outra ponta do plano é dar uma trégua a Ronaldinho Gaúcho, arejar seus músculos e o cérebro. Ronaldo também terá um tratamento especial. No seu caso, a prioridade é a condição física. O atacante não joga há mais de um mês. Recupera-se de uma lesão muscular na coxa direita.

Nos dias 23 e 24, em Weggis, todos os jogadores serão submetidos a uma série de exames.