Rio de Janeiro – Hoje será o dia do perdão na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O técnico da seleção, Carlos Alberto Parreira, vai anunciar na sede da entidade a lista dos convocados para os jogos contra Venezuela e Colômbia e certamente relacionará os cinco recém-punidos Dida, Cafu, Kaká, Lúcio e Zé Roberto. Eles estariam assim desculpados pelo pouco esforço, na avaliação da CBF, de tentar a liberação com seus clubes para amistoso do Brasil com o Haiti, realizado em agosto, em Porto Príncipe.

No entanto, nenhum dos cinco atletas considerou correta a medida da CBF, que teve o aval da comissão técnica. A expectativa agora é quanto à reação deles no momento em que a lista for divulgada e quando da apresentação do grupo em Teresópolis, na primeira semana de outubro.

O Brasil enfrentará a Venezuela, dia 9, em Maracaibo, fechando o primeiro turno das eliminatórias da Copa do Mundo de 2006. Quatro dias depois, a seleção vai jogar com a Colômbia, em Maceió, na abertura do returno da competição, liderada hoje pelo Brasil. Parreira deverá relacionar 22 atletas, entre os que atuam no exterior e os em atividade no País. Ele disse que não haverá surpresas na relação.

Contra a Bolívia, em setembro, também pelas eliminatórias, Parreira formou um time bastante diferente do que vinha atuando no torneio, por causa da ausência dos até então cinco titulares da equipe.

Dos cinco punidos, os três do Milan (Dida, Cafu e Kaká) certamente voltarão ao time titular contra a Venezuela. Zé Roberto ainda não pode ser considerado nome certo na equipe que começará o jogo. A situação delicada fica para Lúcio, sob ameaça de perder a posição para Juan, destaque do Brasil na recente Copa América e também muito bem nos últimos amistosos da seleção e na partida contra a Bolívia. Roque Júnior, o outro zagueiro, continuará entre os 11 preferidos de Parreira.

A seleção segue para treinos em Teresópolis na terça-feira, dia 5, onde permanece até o dia 7 ou 8. Depois, viaja em vôo fretado para a Venezuela.

Renato está confiante e ansioso com a convocação

São Paulo –

Renato tem grande chance de ser um dos escolhidos hoje por Carlos Alberto Parreira para defender a Seleção Brasileira nos próximos dois jogos pelas Eliminatórias Sul-Americanas ao Mundial 2006 em 9 de outubro, contra a Venezuela (em Maracaibo), e no dia 13, frente à Colômbia (em Maceió).

“Estou bem confiante. Espero que realmente esteja nessa convocação. Seria mais um passo rumo ao meu maior objetivo, que é disputar uma Copa do Mundo”, ressalta o volante. Se depender do que tem feito pelo Sevilla no Campeonato Espanhol, Renato já pode ir preparando as malas para retornar ao Brasil no início de mês para jogar pela Seleção.

Em pouco mais de um mês, o brasileiro tornou-se uma das atrações do time espanhol ao lado de Júlio Baptista e Daniel Alves: em três jogos pelo campeonato nacional, Renato marcou dois gols o primeiro, logo na partida de estréia (1 a 0 sobre o Albacete). De quebra, foi eleito o melhor jogador em campo pela revista “Don Balon”. “Perguntaram se eu ia marcar mais gols que o Júlio Baptista (36 gols, em 46 jogos). Eu deixei bem claro que não sou artilheiro.”

O ex-jogador do Santos caiu como uma luva no meio-de-campo do Sevilla. Renato joga como segundo volante, caindo pelo lado esquerdo, e com liberdade para auxiliar o ataque. Uma posição bastante parecida com aquela em que atuava no Santos.

Renato abriu mão de propostas mais tentadoras e optou por jogar na Espanha para não ser esquecido por Parreira. “Recebi propostas da Ucrânia e da Rússia, mas preferi ganhar menos e jogar aqui na Espanha para continuar em evidência e ser lembrado para a Seleção Brasileira”, explica o jogador, que completou um ano de convocações.

O volante está animado com as chances do Sevilla, tanto no Campeonato Espanhol como na Copa da Uefa. “O objetivo é fazer uma campanha tão boa ou melhor do que a temporada passada. Se bobearem, brigar por uma vaga na Copa dos Campeões.”

No início da semana, Renato ganhou mais um motivo para não parar de fazer gols. Na segunda-feira nasceu seu primeiro filho, Renatinho, com 46 centímetros e pesando pouco mais de 2,5 quilos.

Ainda vai demorar um pouco, porém, para que o volante possa mimar Renatinho. “A Lilian, minha mulher, e a minha sogra só vão mudar para a Espanha em novembro”, completou.