Teresópolis – O técnico Carlos Alberto Parreira já sentiu em seus jogadores alguma ansiedade para decidir a partida contra o Chile o mais rapidamente possível, no melhor esquema de abafa que a seleção brasileira poderia impor a um adversário e como a torcida gosta. Mas não é isso o que ele quer domingo em Brasília. Uma vitória por qualquer marcador carimba o passaporte do Brasil para o Mundial da Alemanha, conquista que coroa campanha iniciada lá atrás quando o time de Parreira estreou nas Eliminatórias com vitória por 2 a 1 diante da Colômbia, em Barranquilla, dia 7 de setembro.

Os jogadores querem liquidar a fatura e garantir a vaga o mais rapidamente possível. Não deixarão a chance escapar. Parreira quer também a vitória, mas sem desespero. ?Atacar desesperadamente não é a nossa característica. Temos de procurar tocar a bola o tempo todo para envolver o adversário. Ainda não sabemos exatamente como o Chile irá jogar, pois ontem eles começaram o treinamento num 4-4-2 e depois mudaram para um 3-5-2, com três zagueiros. Temos de ter cautela e paciência e não querer resolver tudo nos primeiros minutos de jogo?, alerta o treinador, que bateu nesta tecla a semana toda em Teresópolis.

Parreira deu ontem seu último coletivo antes da partida contra o Chile. Fez 50 minutos. Voltou a comentar sobre a necessidade de a seleção trabalhar com a bola nos pés, pediu atenção nos contragolpes chilenos, mas liberou seu time para atacar. O drama de Parreira para conter tamanha euforia deve ir somente até o primeiro gol do Brasil, quando se espera depois disso que o Chile abra mão de qualquer esquema defensivo e tente os três pontos.

É nisso que Parreira aposta. Com um quarteto de frente formado por Kaká, Robinho, Ronaldo e Adriano é difícil imaginar uma zaga capaz de impedi-los de macar durante 90 minutos. O Chile vem com essa proposta.

Parreira teme ainda que Robinho se junte a Ronaldo e Adriano mais à frente e fiquem os três isolados, sem receber a bola. Por isso, pede para que Robinho contenha um pouco sua ânsia de atacar e ajude Kaká a armar as jogadas. O que não quer dizer que a nova sensação do futebol espanhol ficará preso às suas funções táticas.

?Tanto ele quanto Kaká estão liberados para mudar de lado em campo e atacar. Só quero um pouco mais de atenção e empenho dos dois na armação.? Robinho já disse que gostaria de estar mais à frente, onde vinha atuando no Santos e onde está agora no Real, mas está disposto a ajudar a seleção em busca da vaga.

Após o treino de ontem, a delegação seguiu para Brasília em vôo fretado. Após o jogo, o elenco segue para Madri. A seleção fará um amistoso na terça-feira com o Sevilha, em Sevilha, em comemoração ao centenário do clube espanhol A TV Cultura mostra a partida ao vivo, a partir das 17h.

Chile não tem medo e quer fazer história

Santiago – O técnico Nelson Acosta definiu ontem pela manhã a equipe que enfrenta o Brasil, amanhã, em Brasília. O treinador comandou o último treino antes da viagem e definiu o esquema 3-5-2, com Marcelo Salas e Mauricio Pinilla no ataque.

O time deve jogar com Nelson Tapia; Fuentes, Ricardo Rojas e Pablo Contreras; Cristian Alvarez, Rodrigo Melendez, Maldonado, Pizarro e Tello; Pinilla e Marcelo Salas. A única dúvida é o zagueiro Rojas, que treinou separado, com febre. No seu lugar, jogou Waldo Ponce.

No embarque, o atacante Marcelo Salas declarou: ?Estou um pouco ansioso. Trabalhamos bastante, diferentes opções de jogo, bola parada. Nesse sentido, vamos bem preparados?.

Pinilla, seu companheiro de ataque, está otimista: ?Temos vontade de fazer uma grande partida. Temos a ilusão que podemos fazer história?, disse o atacante do Sporting de Lisboa, referindo-se ao retrospecto amplamente favorável aos brasileiros. O Chile nunca venceu em território brasileiro.

O Chile está em sexto lugar, com 20 pontos – perde para a Colômbia no saldo de gols. O time precisa da vitória para continuar na briga por uma vaga, mais provavelmente na repescagem, com o representante da Oceania.

A seleção chilena embarcou às 16 horas (do Brasil) para Brasília, em vôo fretado. O time deve fazer um treino de reconhecimento hoje no gramado do Estádio Mané Garrincha.

Paraguai vai partir pra cima

São Paulo – O Paraguai vai partir para cima da líder e já classificada Argentina na tentativa de se aproximar do Mundial da Alemanha. Na quarta posição, com 22 pontos, a seleção paraguaia nunca venceu os argentinos nas eliminatórias sul-americanas e não esconde a importância do jogo de hoje, às 18h, em Assunção. ?Com certeza é a partida mais importante que vamos fazer. Um triunfo nos deixará bem perto da classificação?, declarou o treinador Aníbal Ruiz.

A seleção da Argentina, que não vai poder contar com a atacante Crespo, contundido, deve aproveitar a partida para testar novos jogadores e esquemas de jogo. ?Aproveitaremos os jogos que nos restam até o Mundial para continuarmos melhorando?, disse o meia Riquelme.

Em La Paz, o Equador está esbanjando otimismo para o jogo contra a Bolívia, às 16h. Se vencer, dará um importante passo para garantir pela segunda vez na história uma classificação para a Copa do Mundo.

?Não podemos perder para a Bolívia se quisermos nos classificar para o Mundial?, disse o técnico Luis Fernando Suárez. ?É ganhar ou ganhar. O resto não serve.? Para enfrentar os 3.600 metros de altitude de La Paz, a seleção equatoriana terceira colocada nas Eliminatória, com 23 pontos está se preparando na capital boliviana desde domingo. A seleção anfitriã é a lanterna da competição, com 13 pontos.

Venezuela e Peru, ambos com 15 pontos, se enfrentam em Maracaibo, às 21h. Só a vitória interessa aos times para continuar com o sonho de ir ao Mundial. Amanhã, além de Brasil e Chile, o Uruguai recebe a Colômbia. O Paraguai vai partir para cima da líder e já classificada Argentina na tentativa de se aproximar do Mundial da Alemanha. Na quarta posição, com 22 pontos, a seleção paraguaia nunca venceu os argentinos nas eliminatórias sul-americanas e não esconde a importância do jogo de hoje, às 18h, em Assunção. ?Com certeza é a partida mais importante que vamos fazer. Um triunfo nos deixará bem perto da classificação?, declarou o treinador Aníbal Ruiz.

A seleção da Argentina, que não vai poder contar com a atacante Crespo, contundido, deve aproveitar a partida para testar novos jogadores e esquemas de jogo. ?Aproveitaremos os jogos que nos restam até o Mundial para continuarmos melhorando?, disse o meia Riquelme.

Em La Paz, o Equador está esbanjando otimismo para o jogo contra a Bolívia, às 16h. Se vencer, dará um importante passo para garantir pela segunda vez na história uma classificação para a Copa do Mundo.

?Não podemos perder para a Bolívia se quisermos nos classificar para o Mundial?, disse o técnico Luis Fernando Suárez. ?É ganhar ou ganhar. O resto não serve.? Para enfrentar os 3.600 metros de altitude de La Paz, a seleção equatoriana terceira colocada nas Eliminatória, com 23 pontos está se preparando na capital boliviana desde domingo. A seleção anfitriã é a lanterna da competição, com 13 pontos.

Venezuela e Peru, ambos com 15 pontos, se enfrentam em Maracaibo, às 21h. Só a vitória interessa aos times para continuar com o sonho de ir ao Mundial. Amanhã, além de Brasil e Chile, o Uruguai recebe a Colômbia.