Rio de Janeiro – O treinador Carlos Alberto Parreira deu pistas, após a convocação da seleção brasileira para os jogos contra Bolívia e Venezuela, de que o meia Robinho, hoje no Real Madrid, deverá sobrar entre os cinco craques que podem compor o chamado "quarteto mágico" da equipe titular.

"A imprensa pode falar à vontade sobre esse negócio. O Robinho está para ser usado como se fosse quase um 12.º jogador", disse Parreira, pouco preocupado com a "pressão" que pode sofrer para escalar os cinco craques – Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Adriano, Kaká são os outros – como titulares.

O técnico quer que a seleção tenha um equilíbrio em todos os setores para se dar bem no Mundial de 2006, na Alemanha. "Para ganhar a Copa, é preciso ter alguém que defenda bem, alguém que organize as jogadas e outro que ataque", filosofou Parreira.