O técnico Carlos Alberto Parreira reconheceu a dificuldade do grupo da África do Sul nesta sexta-feira após o sorteio das chaves da Copa do Mundo de 2010. Para o treinador brasileiro, a seleção anfitriã entrou no grupo mais difícil da competição. Enfrentará os campeões mundiais França e Uruguai, e o México, pela chave A.

“Pela primeira vez não haverá um grupo da morte, e nem aquele grupo facílimo. O nosso grupo é o mais equilibrado, pra não dizer o mais difícil. Temos dois campeões mundiais, França e Uruguai”, admitiu o técnico, que substituiu Joel Santana no comando da seleção africana há pouco mais de um mês.

Parreira também exaltou o México, com quem a África do Sul fará o primeiro jogo do Mundial, no dia 11 de junho. “Os mexicanos têm sete jogadores atuando no futebol europeu. É um time que vai dar trabalho. Não é porque vamos jogar em casa que as coisas vão ficar mais fáceis”, reforçou.

O treinador, porém, não mostrou desânimo por causa dos adversários da primeira fase. “Acho que isso não deve nos assustar. Isso só nos dá força para nos prepararmos melhor. Para nós será um desafio muito grande”, afirmou Parreira, que quer levar a África do Sul às oitavas de final. “Nosso principal objetivo é alcançar a próxima fase”.

Sobre os adversários da seleção brasileira, Parreira prevê dificuldade diante de Portugal e da Costa do Marfim, mas confia na classificação. “Acho que o jogo com Portugal será o mais difícil. Esqueçam aqueles 6 a 2 sobre Portugal no ano passado. Aquele jogo não pode ser levado em consideração”, destacou o técnico que comandou o Brasil na Copa da Alemanha, em 2006.

“A Costa do Marfim tem o Drogba e outros jogadores experientes, que podem ser decisivos. Os times africanos aprenderam a marcar, não são mais inocentes. Há um ‘feeling’ aqui de que uma equipe africana deverá chegar às semifinais”, revelou o treinador, que aposta na classificação do Brasil. “A Coreia do Norte é muita correria, mas não tem muita qualidade. Se o Brasil jogar o que está jogando, com certeza passará bem para a outra etapa”.

Por fim, Parreira exaltou a organização da Copa e disse esperar um grande evento em 2010. “Hoje funcionou tudo direitinho no sorteio. Os hotéis, os campos são os melhores do mundo. Vocês vão ficar chocados positivamente pelo espetáculo que a África vai proporcionar”, garantiu.