Recife – O Paraná Clube reinicia a sua maratona de jogos na temporada 2014. Depois de jogar três partidas na semana passada, sendo duas delas em casa, agora o Tricolor terá pela frente uma sequência de duelos longe da Vila Capanema. A iniciar hoje, diante do Santa Cruz, às 21h, no Arruda, em Recife. Depois, virão
desafios contra Ponte Preta e Fortaleza.

O Paraná entra em campo esta noite buscando a reabilitação na competição e sonhando com o tão aguardado equilíbrio na produção e especialmente em resultados. Na Série B, o time começou vencendo o Sampaio Corrêa, jogando no Maranhão. Com o primeiro êxito, a expectativa em somar pontos em casa era enorme, mas a derrota para o Joinville por 3×2, na Vila Capanema, deixou todos apreensivos quanto ao futuro do clube na competição. “O resultado foi ruim, mas a performance não foi de todo mal”, disse Lúcio Flávio.

Além de buscar esta auto-afirmação, a equipe tenta esquecer as últimas baixas no elenco. O atacante Paulinho foi para o Al Dhafra, dos Emirados Árabes e o meia Fernando Gabriel entrou com uma ação para jogar em outra equipe. “Normal a saída deles, e nós lamentamos pois são companheiros importantes. Consequentemente, temos que buscar novas alternativas e valorizar aqueles que estão chegando, como o Gabriel Barcos”, avisou o camisa dez paranista.

Time

Claudinei Oliveira teve que mexer na equipe. Além de não contar mais com o atacante Paulinho, o lateral-esquerdo Breno e o meia Juliano Mineiro estão lesionados. Sem um jogador de ofício na esquerda, Rodrigo Mann foi colocado na função. Na lateral-direita, Carlinhos Miranda, contratado junto ao Rio Claro estreia. Na zaga, por opção do treinador, André Vinícius reestreia ganhando a vaga de Brinner, que vai para o banco. Outro que aparece no time é Carlinhos, jogador de velocidade e com um gol na Série B. A ideia é liberar Lúcio Flávio para chegar ao ataque junto com Giancarlo, atuando ao lado de Keno. A boa notícia é o goleiro Marcos. Ausente do último jogo, o experiente jogador retorna em um jogo importante e com casa cheia. A expectativa é de um público superior a vinte mil pessoas no Arruda.