“O dia que ele (Alexandre Pato) tiver a oportunidade, ele vai agarrar”, avisou Muricy Ramalho ainda na pré-temporada. Nesta quarta-feira, o treinador resolveu testar sua teste e descobriu que ela estava mesmo correta. O atacante começou como titular diante do Capivariano, no Pacaembu, e brilhou: marcou três gols e deu uma assistência. Apesar da vitória por 4 a 2, parte da torcida vaiou o time no decorrer do segundo tempo, especialmente Maicon, um dos melhores em campo.

Pato como titular foi a novidade de Muricy para a partida, uma vez que Luis Fabiano é o dono da posição e nesta quarta começou no banco. Um dia depois da chegada de Centurión, o treinador quis dar moral para o reserva, talvez temendo que ele desanimasse. Em 10 minutos, Pato teve três chances de gol, mas não marcou. Na melhor das oportunidades, chegou a dar um drible da vaca no goleiro, mas chutou para fora com o gol vazio.

Com Bruno subindo o tempo inteiro e tabelando com Maicon na direita, e Michel Bastos e Ganso deitando e rolando pela esquerda, o São Paulo tocava bola com facilidade e criava uma chance atrás da outra. O gol era questão de tempo, mas o time demorou a calibrar a mira.

A rede só balançou aos 34 minutos: passe inteligente de Maicon para Michel Bastos, que rolou para Pato escorar para o gol vazio. Cinco minutos depois, a troca de passes mudou de lado e foi para a esquerda: de Ganso para Maicon, de Maicon para Pato, e Pato para o gol. Tudo de primeira.

No segundo tempo, Pato devolveu a ajuda. Aos 9 minutos, recebeu de Reinaldo e, frente a frente com o goleiro, preferiu rolar para Alan Kardec bater para o gol vazio. O atacante ainda faria o quarto, aos 22, desta vez em jogada individual. Após passe de Ganso, ele dominou já passando pela linha de zagueiros, saiu na cara do goleiro e rolou no cantinho.

Com imensa superioridade técnica, o São Paulo sobrava na partida. Mesmo assim, levou dois gols em chutes de longe. Wilian Favoni arriscou da intermediária, a bola desviou em Lucão e encobriu Rogério Ceni, quando o jogo ainda estava 3 a 0, enquanto Everton Dias marcou logo depois do quarto gol tricolor, depois de receber livre na entrada da área.

Foi depois disso que parte da torcida resolveu começar a vaiar. Denilson e Maicon controlavam o ritmo de jogo no meio-campo, cadenciando a partida, e eram criticados a cada toque na bola – e não foram poucos. Outra parte dos torcedores, entretanto, mostrou apoio aos volantes e respondeu aplaudindo também a cada participação.

A vitória é a segunda do São Paulo no Paulistão, uma vez que a equipe ganhou da Penapolense, por 3 a 1, no domingo passado, na estreia. O próximo compromisso é sábado, contra o XV de Piracicaba, no Pacaembu. O estádio municipal vai ser usado novamente porque o gramado do Morumbi está em reforma.

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO 4 X 2 CAPIVARIANO

SÃO PAULO – Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi (Edson Silva), Lucão e Reinaldo; Denilson, Maicon, Michel Bastos e Ganso; Alexandre Pato (Luis Fabiano) e Alan Kardec (Jonathan Cafu). Técnico – Muricy Ramalho.

CAPIVARIANO – Douglas; Régis, Fernando Lombardi, Marllon e Hélio; Everton Dias, Wigor, Antônio Flávio (Wilian Favoni) e Ailton; Willen (Rodolfo) e Francis (Esquerdinha). Técnico – Ivan Baitello.

GOLS – Alexandre Pato, aos 34 e aos 39 minutos do primeiro tempo; Alan Kardec, aos 9, Wilian Favoni, aos 21, Alexandre Pato, aos 22, e Everton Dias, aos 25 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Flávio Rodrigues Guerra (SP).

CARTÃO AMARELO – Não houve.

RENDA – R$ 240.995,00.

PÚBLICO – 7.498 pagantes (7.650 total).

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo.