Brasília – Em clima de euforia, as duas principais ginastas brasileiras, Daiane dos Santos e Daniele Hypólito, representaram ontem a seleção de ginástica artística do País, no ato de assinatura do contrato de patrocínio da Caixa Econômica Federal (CEF). No valor de R$ 1,8 milhão, o apoio a 20 atletas – 13 mulheres e 7 homens – se estenderá até julho do ano que vem. Daiane e Daniele comemoraram.

Segundo elas, o investimento vai ajudar a equipe a se destacar nas próximas disputas, além de estimular o trabalho com a comunidade na descoberta de novos talentos. ?É a força que faltava para a gente, vamos fazer de tudo para corresponder à confiança?, afirmou Daniele.

Para Daiane, o patrocínio vai ajudar no planejamento da equipe para o Pan do Rio, em 2007, para as etapas da Copa do Mundo, na China, e nos preparatórios que antecederão o campeonato.

Ao assinar o contrato com a presidente da Confederação Brasileira de Ginástica (CBG), Vicélia Ângela Florenzano, a presidente da Caixa, Maria Fernanda Ramos Coelho, destacou a intenção da entidade de dar prosseguimento ao trabalho de apoio ao esporte. Ela lembrou que há cinco anos a Caixa é patrocinadora oficial do atletismo brasileiro que, por ser uma modalidade acessível a pessoas de todas as faixas de renda, ?abre caminho para a inclusão social de pessoas oriundas das camadas menos favorecidas da sociedade?.

De acordo com Vicélia Florenzano, é a primeira vez que a equipe masculina terá um patrocínio oficial. ?Mas, mesmo desprestigiados, nunca faltou garra aos nossos meninos?, defendeu. Os recursos, segundo ela, serão repartidos ao meio, indo 50% para as equipes masculina e feminina e a outra parte dividida no desenvolvimento de projetos sociais (15%) e no custeio de viagens e outras atividades da seleção (35%).

Entre as atividades de cunho social, voltada para a comunidade, Vicélia destacou o Projeto de Ginasta Itinerante. Explicou que a idéia, prestes a ser concretizada, consiste em viajar pelo País com um caminhão provido com os aparelhos necessários aos cursos que serão dados a crianças. As que tiverem melhor desempenho, competirão em campeonatos estaduais de onde sairão os nomes de um campeonato nacional e, acredita, novos talentos para enriquecer a ginástica brasileira.