São Paulo – O Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Futebol reúne-se hoje pela manhã e pode anunciar decisão final em relação aos jogos apitados por Edílson Pereira de Carvalho e Paulo José Danelon, que confessaram ter manipulado jogos do Paulistão deste ano. A decisão é aguardada com ansiedade pelos quatro rebaixados Atlético Sorocaba, Inter de Limeira, União Barbarense e União São João que querem a anulação dos 22 jogos sob suspeita (12 apitados por Edílson e dez por Danelon) e o cancelamento do rebaixamento.

A princípio, o presidente da FPF, Marco Polo del Nero não queria acrescentar mais clubes no Paulistão de 2006, mas já afirmou que acatará a decisão do TJD. O presidente da entidade, Naief Saad Neto, tem feito reuniões diárias para discutir o caso. Nenhuma solução satisfatória foi encontrada. Caso siga o exemplo do STJD, de Luiz Zveiter, que cancelou todos os jogos apitados por Edílson no Brasileirão, o maior prejuízo seria para a Portuguesa Santista, que cairia no lugar do União Barbarense.

CPI dos Bingos convoca Gibão para depor

Brasília – A CPI dos Bingos convocou ontem para depor o empresário Nagib Fayad, o Gibão, envolvido no chamado ?escândalo do apito?. O requerimento foi apresentado pelo senador governista Tião Viana (PT-AC). Mas a CPI rejeitou outro requerimento de Viana para que fosse convocado o juiz de futebol Edilson Pereira de Carvalho, pivô do mesmo escândalo. Não foi marcada ainda a data do depoimento de Gibão.

Na decisão pela rejeição pesou o argumento do líder do Minoria, senador José Jorge (PFL-PE), de que o juiz Edílson é réu confesso, e que o caso está muito bem encaminhado na Justiça. Edílson confessou à PF que Gibão o comprava para mudar resultados de partidas do Campeonato Brasileiro.