Rio –

O juiz da 15.ª Vara Cível de Belém, Paulo Oliveira, sentenciou ontem que sejam devolvidos ao Paysandu os 4 pontos dos jogos contra Corinthians e Ponte Preta, tirados dos paraenses por decisão do STJD. Na ocasião, os clubes paulistas conquistaram os três pontos dos duelos com o Papão sob a alegação de irregularidades na inscrição dos atacantes Júnior Amorim e Aldrovani e do lateral Borges Neto.

A CBF já foi comunicada da decisão e tem 24 horas para devolver os pontos ao Paysandu, sob pena de multa diária no valor de R$ 20 mil.

Reação

Mas a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não vai acatar a decisão da Justiça comum do Pará por causa da escalação de atletas sem condições legais, no entender da Justiça Desportiva. A CBF age assim respaldada por uma liminar concedida em 19 de setembro pela 1.ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio, ao clube de Campinas.

Por essa liminar, a CBF está obrigada a cumprir todas as decisões do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). De acordo com o presidente do STJD, o desembargador Luiz Zveiter, a decisão do juiz da 15.ª Vara Cível de Belém, Paulo Oliveira, não vai ter nenhum efeito.

“Isso só poderia dar em alguma coisa se a liminar do Rio fosse cassada, o que não ocorreu.” A Ponte Preta entrara com a ação, em setembro, para garantir que a CBF lhe desse os pontos do jogo disputado em 24 de agosto, em Belém, em que o Paysandu venceu por 3 a 2. A liminar era contra a CBF e acabou depois virando uma arma da própria entidade para se defender de ações de clubes na Justiça comum.