O técnico Oscar Tabárez nem esboçou lamentar a derrota do Uruguai para a Espanha, domingo à noite, em São Lourenço da Mata, na região metropolitana de Recife (PE). O treinador uruguaio desde antes da partida reconhecia que os espanhóis eram amplos favoritos e que seria uma grande zebra se o seu time vencesse na estreia da Copa das Confederações.

Tabárez indicou que até estava feliz pelo placar de 2 a 1, uma vez que uma goleada espanhola era algo bastante plausível. “Nós, antes de jogarmos a partida, sabíamos desta realidade. Se a Espanha goleia Itália, goleia Alemanha, porque não iria ganhar do Uruguai?”, questionou, retórico, o treinador.

Ele elogiou bastante o futebol encantador que apresentou a Espanha na Arena Pernambuco. “É uma equipe que impõe seu estilo. Joga o torneio que é uma espécie de conta pendente, o que faz supor que têm uma grande motivação para conquistar a Copa das Confederações, que é a única que falta para ela neste período tão brilhante de predomínio no mundo.”

Sobre o futuro do Uruguai na competição, Tabárez ressaltou que o Uruguai perdeu “para o adversário que tinha que perder”. Agora a equipe enfrenta Nigéria e Taiti e tem grandes chances de avançar à semifinal. “Nostra série depende da próxima partida (Nigéria, em Salvador, na quinta). Se ganharmos, temos possibilidades de estar entre os quatro”, disse o treinador, que volta domingo a Recife para pegar o Taiti.