O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, foi reeleito neste sábado para mais três anos no cargo em eleição realizada sem qualquer problema durante todo o dia na sede do clube, no bairro das Laranjeiras, na zona sul do Rio de Janeiro. O atual mandatário teve 1.939 votos contra 489 do ex-jogador Deley, que atualmente é deputado federal.

Como a chapa Orgulho de Ser Tricolor, liderada por Siemsen, recebeu mais do que o dobro de votos mais um do que a concorrente, terá direito a ficar com todas as 150 cadeiras do Conselho Efetivo do clube, assim como aconteceu nas eleições de 2010.

“Estou super feliz, orgulhoso com o resultado da eleição. É o reconhecimento de um trabalho de três anos com muita dedicação, muita dificuldade, mas que agradou o torcedor. Só tenho a agradecer o apoio de todos que trabalharam comigo. Estou muito feliz”, comemorou Peter Siemsen, ainda emocionado com o carinho recebido pelos sócios durante todo o dia, em entrevista ao site oficial do clube.

Embora a sede tenha ficado cheia durante todo o dia, o número de eleitores ficou aquém da expectativa do Fluminense. O clube esperava que cerca de 4 mil pessoas votassem, mas menos de 2.500 sócios compareceram ao pleito. A chuva que caiu sobre o Rio de Janeiro neste sábado foi um dos motivos para a baixa adesão.

Aos 46 anos, Peter Siemsen é advogado e comanda o Fluminense desde janeiro de 2011, quando assumiu o lugar que era de Roberto Horcades. Ele é o 35.º presidente da história do clube e em sua gestão o time conquistou o Campeonato Brasileiro do ano passado.

A principal bandeira de Peter Siemsen para o segundo mandato é a construção do centro de treinamento no terreno cedido pela prefeitura do Rio de Janeiro, em abril deste ano. As obras no local ainda não começaram e o clube tricolor ainda não divulgou um projeto.