O Paraná só precisou de 45 minutos para descobrir que pode ter, dentro de seu elenco, o atacante que o técnico Paulo Comelli tanto pedia. Contra o Toledo, no último domingo, Peterson saiu do banco para marcar três gols, garantir a vitória e ganhar a condição de novo titular do Tricolor.

Contratado por empréstimo jdo São Carlos-SP, no início do ano, Peterson teve paciência para aguardar uma chance. “Não sei se ainda faltava algo mais, mas sempre me dediquei ao máximo nos treinos. Assim, quando a oportunidade apareceu, pude agarrar da melhor maneira possível”, afirma.

Essa persistência, aliás, é marcante na ainda curta carreira do atacante. Revelado pelo São Carlos, ele enfrentou experiências frustradas no futebol holandês e no São Paulo, antes de desembarcar na Vila Capanema.

Até o último domingo, o garoto de 19 anos só havia jogado 34 minutos com a camisa tricolor.

Ele entrou nos instantes finais na derrota de 3 a 0 para o J. Malucelli, na primeira rodada do estadual, e no empate de 2 a 2 com o Cianorte, última partida do Paraná na Vila Capanema.

No último domingo, Comelli decidiu apostar em Peterson no intervalo. E assim que entrou em campo no lugar do apagado Osmar, ele já foi logo correspondendo. Marcou gols aos 6’, aos 17’ e aos 27’, garantindo a vitória paranista por 5 a 3.

“Foi muito emocionante. Meus pais estavam assistindo ao jogo e me ligaram chorando. Foi uma felicidade muito grande para eles”, revela. Centroavante matador, Peterson não tem como pontos fortes a velocidade e a movimentação, que Comelli dizia faltar ao ataque paranista. Posicionamento e oportunismo são as principais qualidades do garoto de 19 anos, que mesmo assim conseguiu encaixar uma boa dupla com Wellington Silva.

No esquema 3-5-2, os atacantes não precisaram sair tanto da área, nem cair pelas pontas, o que facilitou o trabalho de Peterson e Wellington. “Ficamos atentos e posicionados dentro da área, porque os alas estavam chegando muito bem no fundo. Graças a Deus deu certo e pude ajudar o Paraná a conquistar a vitória”, conta o novo dono da camisa 11.

Na próxima quinta-feira, contra o Mixto-MT, Comelli já confirmou Peterson como titular. Ele promete continuar balançando as redes e brigar pela artilharia do estadual e da Copa do Brasil. “Todo atacante vive de gols e sempre tem que pensar nisso”, avisa.

Se os planos derem certo, o Paraná terá que agir rápido. O empréstimo de Peterson termina no final do ano e o Tricolor tem preferência para ficar com ele definitivamente.